10 dicas para se proteger contra o coronavírus

por Equipe Danone Nutricia 19 de Março de 2020 5 minutes

Lavar as mãos, desinfetar as superfícies e evitar contato com outras pessoas são algumas das recomendações básicas.

Lavar as mãos frequentemente com água e sabão é o ritual de higiene que deve ser levado ainda mais a sério durante a pandemia de coronavírus (COVID-19). Diante do potencial de expansão do vírus, é preciso tomar medidas para evitar a contaminação e proteger grupos de risco, como idosos e pessoas com doenças preexistentes.  

Por enquanto, não há uma vacina que imunize o organismo contra o COVID-19. Assim, a melhor forma de prevenir é evitar a exposição ao vírus. Ele geralmente se propaga entre pessoas que estão em contato direto umas com as outras (até um metro), por meio de gotículas respiratórias produzidas quando um indivíduo infectado tosse ou espirra. Saiba mais sobre a transmissão da doença. (linkar texto “Entenda como o coronavírus é transmitido e como se prevenir”)

Além disso, não se sabe exatamente por quanto tempo o vírus pode sobreviver em superfícies. Segundo o World Economic Forum, dados do surto de SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave) de 2003, uma condição semelhante ao COVID-19, mostram que  o agente podem contaminar paredes de gesso por até um dia e meio; plástico e aço inoxidável por 72 horas; e vidro por 96 horas.  

Portanto, se a tela do telefone celular, tablet ou computador onde você está lendo este artigo for contaminado pelo vírus, é possível que ele sobreviva por dias e contamine qualquer pessoa que tocar nela.

Veja, abaixo, como se proteger:

 

  1.  Lave as mãos frequentemente
    Lave bem as mãos frequentemente durante o dia usando água e sabão ou álcool gel 70% para matar o vírus presente na pele. Lave-as por pelo menos 20 segundos, especialmente depois de estar em um local público, assoar o nariz, tossir ou espirrar. Caso não tenha como lavar as mãos, use álcool gel.

  2.  Evite tocar nos olhos, nariz e boca
    Evite tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas. Nossas mãos tocam maçanetas, teclados, torneiras e várias outras superfícies ao longo do dia, e o vírus pode ser facilmente contraído dessa forma. Esfregar os olhos cansados ou tocar o nariz ou a boca pode transferir o vírus das mãos para o organismo.

  3. Evite contato próximo com outras pessoas
    Mantenha pelo menos um metro de distância entre você e qualquer pessoa que esteja tossindo ou espirrando. Quando alguém tosse ou espirra, pequenas gotas líquidas do nariz.

  4. Tenha boa higiene respiratória

    Certifique-se de que você e as pessoas ao seu redor seguem uma boa higiene respiratória, o que significa cobrir a boca e o nariz com o cotovelo ou um lenço descartável quando tossir ou espirrar. Em seguida, descarte o lenço imediatamente.
    Ao seguir uma boa higiene respiratória, você protege as pessoas ao seu redor contra resfriados, gripes e o COVID-19

  5.  Fique em casa: obrigatoriamente, se estiver doente.

    Fique em casa se estiver doente ou se simplesmente não estiver se sentindo bem. Se tiver febre, tosse e dificuldade para respirar, procure ajuda médica imediatamente, de acordo com as recomendações do sistema de saúde da sua cidade.
    O profissional de saúde irá diagnosticar a doença e, se der positivo, recomendar as medidas necessárias. Na maioria dos casos, o doente deve ficar de repouso em casa, tratando os sintomas de acordo com as instruções. Apenas em casos graves o médico irá pedir a internação do paciente, principalmente quando ele precisar da ajuda de um respirador ou quando os sintomas forem intensos.

  6. Fique em casa, mesmo que que esteja bem.

    Se você estiver se sentindo ótimo, também é necessário ficar em casa, pois é possível ter a doença sem apresentar os sintomas. Dessa forma, há o risco de infectar outras pessoas, inclusive idosos e outras pessoas mais vulneráveis.
    Se estiver ao seu alcance, faça home office e saia apenas quando for necessário, para comprar alimentos, por exemplo. Aproveite o tempo em casa para ler, tirar antigos projetos do papel ou se dedicar a um hobbie.

  7. Use uma máscara facial se estiver doente.
    Se você apresenta os sintomas do coronavírus, use uma máscara facial quando estiver perto de outras pessoas (por exemplo, compartilhando um quarto ou um veículo) e antes de entrar no consultório de um profissional de saúde.
    Se você não tiver acesso ou não conseguir usar uma máscara facial, faça o possível para cobrir tosses e espirros. 

    Por outro lado, se você não estiver doente, não é preciso usar uma máscara facial, a menos que esteja cuidando de alguém doente. Não entre em pânico e encomende dezenas de máscaras online, pois elas podem acabar no mercado e depois fazerem falta para profissionais de saúde e pessoas que realmente precisam utilizá-las.

  8. Limpe e desinfete

    Limpe e desinfete as superfícies tocadas diariamente, como mesas, maçanetas, interruptores de luz, bancadas, mesas, telefones, teclados, banheiros, torneiras e pias. Use detergente ou água e sabão e depois desinfete usando soluções que contenham álcool.

  9. Cuide da sua imunidade

    Quando a imunidade está baixa, nosso organismo fica mais vulnerável a infecções e tem dificuldade para se recuperar durante um quadro de doenças como o coronavírus. Portanto, é preciso ficar atento aos sinais e cuidar da alimentação, uma das principais aliadas do sistema imunológico fortalecido.
    De acordo com o Ministério da Saúde, uma dieta balanceada e rica em proteínas, vitaminas e minerais deve ser adotada. Castanhas, grãos raízes, tubérculos, farinhas, legumes, verduras e castanhas são alguns dos alimentos que não podem faltar.
    Se a sua ingestão alimentar estiver insuficiente há alguns dias, impossibilitando que se atinja o consumo ideal de nutrientes diários, converse com o seu médico e/ou nutricionista.
    A população idosa, por exemplo, constitui um dos grupos de risco mais vulnerável a aquisição de doenças. Se a ingestão alimentar estiver reduzida (por exemplo, abaixo de 50% dos requisitos nutricionais, por mais de três dias) ou houver fatores de risco que prejudicam a alimentação ou aumentam as necessidades nutricionais diárias (presença de doenças como infecções, cancêr, por exemplo), cresce o risco deterioração do estado nutricional e de saúde.
    Tudo isso, consequentemente impacta a imunidade. Em situações como estas, a suplementação nutricional pode ser recomendada. Acione um profissional de saúde para mais informações.

  10.  Mantenha-se informado

    Informações precisas sobre o COVID-19 e sua propagação são essenciais. Tome cuidado e não acredite em tudo o que lê na internet, pois existem muitas notícias falsas circulando. Também tome cuidado com o que você compartilha. Informações erradas podem gerar pânico ou colocar a saúde de outras pessoas em riscos.

     

Referências bibliográficas
1. Centers for Disease Control and Prevention. How to Protect Yourself
2. World Health Organization. Basic protective measures against the new coronavirus
3. World Economic Forum. Coronavirus -- here’s the public health advice on how to protect yoursel
4. Volkert D. et al. ESPEN guideline on clinical nutrition and hydration in geriatrics. Clinical Nutrition (2018).