Coronavírus: devo receber tratamento em casa ou no hospital?

por Equipe Danone Nutricia 20 de março de 2020 5 minutes

apenas os casos graves de coronavírus precisam de cuidados hospitalares

A pandemia do novo coronavírus (COVID-19) está levando governos à tomada de medidas extremas para contar a propagação da doença. Entre elas, a formulação de protocolos específicos para o tratamento, que exige a hospitalização do doente em apenas 20% dos casos, de acordo com a Sociedade Brasileira de Infectologia. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) explica que os sintomas mais comuns do COVID-19 são febre, cansaço e tosse seca. Alguns pacientes podem ter dores, congestão nasal, corrimento nasal, dor de garganta ou diarréia. Tais sintomas geralmente são leves e começam gradualmente. Inclusive, certas pessoas são infectadas, mas não apresentam sintomas e não se sentem mal.

Cerca de uma em cada seis pessoas fica gravemente doente e desenvolve dificuldades para respirar. Idosos e indivíduos que têm problemas médicos como pressão alta, diabetes, doenças cardíacas ou pulmonares têm maior probabilidade de desenvolver sintomas graves e, portanto, de precisar de cuidados hospitalares.

O que fazer em caso de sintomas

Pessoas com febre, tosse seca e dificuldades para respirar devem procurar cuidados médicos. O profissional de saúde fará o diagnóstico, que pode ser clínico ou envolver o teste. Na maioria dos casos, coleta-se muco do nariz, da garganta ou secreções expelidas pelos brônquios ou pulmões durante a tosse.

 

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) incluiu o exame do coronavírus no rol obrigatório em planos de saúde, mas o teste também está disponível na rede pública de saúde. No entanto, o procedimento só deve ser realizado sob recomendação médica para todos os casos suspeitos.

De acordo com Federação Médica Brasileira (FMB), 90% dos casos de coronavírus podem ser atendidos no posto de saúde. Se diagnosticada a doença, o médico irá orientar o tratamento necessário. Em geral, é indicado repouso e consumo de bastante água, além de adoção de medidas para aliviar os sintomas, de acordo com cada caso. 

O uso de medicamentos para dor e febre (antitérmicos e analgésicos), assim com o uso de umidificador no quarto e de banhos quentes para aliviar a tosse, podem ser recomendados.

Quando a internação é necessária?

A internação é necessária quando os sintomas forem mais graves e intensos, incluindo dificuldades para respirar, taquicardia (aumento dos batimentos cardíacos), dor no peito e  falta de ar, por exemplo. Pessoas que ficam gravemente doentes com o COVID-10 podem precisar de um respirador para ajudá-los a respirar e, portanto, devem ser internados. 

No entanto, a internação é decidida pelo médico caso a caso, de acordo com os sintomas apresentados. Segundo o Ministério da Saúde, o contato inicial com os serviços de saúde é necessário para considerar e diferenciar cada situação. Os casos graves devem ser encaminhados a um hospital de referência estadual, onde o paciente ficará em isolamento e será tratado. 

Os pacientes que continuarem em casa deverão tomar as precauções necessárias e evitar contato com os demais. A Atenção Básica continuará acompanhando esses casos para identificar se como está a recuperação e se é preciso ir ao hospital.


Referências:

Ministério da Saúde. O que é coronavírus?

Secretaria de Estado da Saúde. Ações do Governo do MS para combater o coronavírus COVID-19.

Governo de São Paulo - Secretaria de Estado da Saúde. Perguntas e respostas: tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus.

Federação Médica Brasileira. 90% dos casos de coronavírus podem ser atendidos nos postos de saúde.

World Health Organization. Q&A on coronaviruses (COVID-19).

Agência Nacional de Saúde Suplementar. ANS inclui exame para detecção de coronavírus no Rol de Procedimentos obrigatórios.

Sociedade Brasileira de Infectologia: Informe da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) sobre o Novo Coronavírus.

LEIA MAIS