Derrubando mitos sobre o coronavírus

14 mitos sobre o coronavírus

por Equipe Danone Nutricia 06 de abril de 2020 5 minutes

passar álcool no corpo ou comer alho não vão prevenir você ou seu filho da infecção pelo coronavírus

Se você acredita em tudo o que lê na internet, está na hora de rever seus conceitos. Conteúdos de redes sociais e sites poucos confiáveis compartilham todo tipo de mitos sobre a pandemia do coronavírus, além de dicas sem qualquer comprovação para prevenir a infecção.

A regra é: sempre desconfie do que ler e cheque as fontes das informações. Ao seguir recomendações equivocada, você pode prejudicar a sua saúde e também a de pessoas em sua volta.

Veja, abaixo, alguns mitos sobre o coronavírus e os fatos relacionados:
 

Mito: O coronavírus não existe em climas quentes e úmidos.

Fato: Infelizmente, segundo evidências até o momento, o Coronavírus pode ser transmitido para qualquer lugar, incluindo locais com clima quente e úmido. 
 

Mito: O tempo frio elimina o coronavírus.

Fato: O corpo humano, onde o vírus prospera, tem temperatura média entre 36,5°C e 37°C, independentemente da temperatura externa ou do clima. Portanto, o tempo frio não elimina o coronavírus. 
 

Mito: Dar um banho quente ao meu filho ajudará a prevenir a infecção pelo coronavírus.

Fato: Dar um banho quente no seu bebê não o impedirá de pegar o vírus. A temperatura corporal permanece entre 36,5°C e 37 °C, independentemente da temperatura do banho ou do chuveiro. Também tenha cuidado ao tomar um banho quente, porque a água com temperatura elevada é prejudicial à pele.
 

Mito: O coronavírus pode ser transmitido a partir de picadas de mosquito

Fato: Até o momento, não há evidências de que o Coronavírus possa ser transmitido por mosquitos. O coronavírus é um vírus respiratório que se espalha principalmente por gotículas geradas quando uma pessoa infectada tosse ou espirra, ou por gotículas de saliva ou secreção nasal.
 

Mito: Scanners térmicos podem detectar bebês infectados com o coronavírus

Fato: Os scanners térmicos são úteis para medir a febre em uma criança (ou seja, descobrir qual a temperatura do seu corpo), que pode ser causada pela infecção pelo Coronavírus ou por outros motivos. No entanto, eles não podem detectar crianças que estão infectadas e que não tenham sintomas febris. Isso porque crianças com COVID-19 podem não apresentar sintomas febris ou demorar até 10 dias para apresentar febre.
 

Mito: Lavar o nariz da criança com solução salina ajuda a prevenir a infecção por coronavírus.

Fato: Não há evidências de que lavar regularmente com solução salina proteja o seu filho de infecções respiratórias. No entanto, enxaguar regularmente o nariz com solução salina pode ajudar a criança a se recuperar de um resfriado comum.
 

Mito: o coronavírus não afeta os jovens.

Fato: Pessoas de todas as idades podem ser infectadas pelo coronavírus. As pessoas idosas e com condições médicas preexistentes (como asma, diabetes e doenças cardíacas) parecem ser mais vulneráveis ​​a ficar gravemente doentes quando contraem o vírus. 

 

Mito: Antibióticos previnem e tratam o coronavírus

Fato: Antibióticos não funcionam contra vírus, apenas contra bactérias. Portanto, não devem ser usados ​​como um meio de prevenção ou tratamento para uma infecção por coronavírus. No entanto, no caso de hospitalização, um paciente pode receber antibióticos devido a co-infecção bacteriana.
 

Mito: Já existem medicamentos que previnem ou tratam uma infecção por coronavírus.

Fato: Infelizmente, até o momento, não existe medicamento específico para prevenir ou tratar o novo coronavírus. Atualmente, a OMS está trabalhando com instituições em todo o mundo para acelerar a pesquisa e o desenvolvimento de vacina e tratamento o mais rápido possível. Até agora, a melhor maneira de combater o vírus é com nossos próprios anticorpos. Aqueles infectados com o vírus devem receber cuidados imediatos para aliviar os sintomas.

Mito: As vacinas contra pneumonia podem protegê-lo contra o coronavírus.

Fato: Vacinas contra pneumonia, como a vacina pneumocócica e a vacina Haemophilus influenza tipo B (Hib), não fornecem proteção contra o coronavírus. Como o vírus é novo, precisa de sua própria vacina. Os pesquisadores estão tentando desenvolver uma vacina contra COVID-19 e a OMS apóia seus esforços.  Embora essas vacinas não sejam eficazes contra o COVID-19, a vacinação contra doenças respiratórias é altamente recomendada para proteger a saúde.
 

Mito: Os secadores de mãos eliminam o coronavírus.

Fato: Os secadores de mãos são completamente ineficazes na eliminação do coronavírus.
 

Mito: Lâmpadas de desinfecção ultravioleta matam o coronavírus.

Fato: As lâmpadas UV não devem ser usadas para esterilizar as mãos do seu filho ou outras áreas da pele, pois a radiação UV pode causar irritação na pele.
 

Mito: Pulverizar o corpo todo com álcool ou cloro mata o coronavírus.

Fato: é muito perigoso borrifar álcool ou cloro em todo o corpo. Não mata o vírus e ainda faz muito mal à pele. Esteja ciente de que, embora o álcool e o cloro possam ser úteis para desinfetar superfícies, eles precisam ser usados ​​adequadamente.
 

Mito: Comer alho pode ajudar a prevenir a infecção pelo coronavírus.

Fato: O alho é um alimento saudável, com algumas propriedades antimicrobianas. No entanto, não há evidências de que o consumo de alho tenha protegido as pessoas do coronavírus, tanto adultos como crianças.
 

Tenha cuidado e fique seguro!

 

Mantenha-se informado e siga as orientações médicas! É muito importante que você esteja ciente das informações mais recentes sobre o surto de COVID-19, disponíveis no site da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde. 

Este texto não pretende substituir o aconselhamento médico profissional. Entre em contato com um profissional de saúde se tiver alguma dúvida ou preocupação.

 

Referências:

Organização Mundial da Saúde: Coronavírus

LEIA MAIS