Imunidade ao coronavírus: é possível contrair o vírus mais de uma vez?

por Equipe Danone Nutricia 17 de abril de 2020 5 minutes

Cientistas acreditam que o corpo pode adquirir imunidade ao coronavírus por ao menos um período de tempo, mas ainda não existem respostas conclusivas

“Passaportes de imunidade” são a nova possível estratégia do Reino Unido e Alemanha para lidar com a crise do coronavírus. A ideia é que pessoas que já contraíram o vírus estejam imunes e possam voltar a integrar a força de trabalho, inclusive cuidando de novos pacientes.

No entanto, será que é possível adquirir imunidade ao SARS-CoV-2, causador da COVID-19, após contraí-lo uma vez? Pesquisadores e cientistas estão esperançosos que sim, mas as respostas ainda são inconclusivas. 

Um estudo feito com macacos infectados pelo coronavírus sugeriu que os animais produziram anticorpos neutralizantes e, portanto, ganharam resistência a novas infecções. Porém, ainda não está claro por quanto tempo os macacos – ou pessoas infectadas pelo vírus – permanecem imunes.

Além disso, pessoas que já se recuperaram da infecção pelo coronavírus testaram positivo novamente depois. Foi o caso de um guia turístico no Japão, que testou positivo cerca de uma mês após a recuperação. No entanto, não se sabe se o homem foi de fato infectado duas vezes, ou se ele apenas teve uma recaída.

Em entrevista à BBC Mundo, a Organização Panamericana da Saúde disse que como se trata de um vírus novo, ainda não é possível afirmar com certeza se uma pessoa que foi infectada pelo coronavírus possa contraí-lo outra vez. A Organização das Nações Unidas (ONU), em 17 de março, também afirmou que ainda há muito a analisar antes de tomar conclusões. 

“É um novo vírus e temos que aprender sobre ele. Causa imunidade? Ou é como a gripe, que muda todos os anos? Não sabemos o suficiente e agora precisamos de um pacote abrangente de medidas básicas de saúde pública. Podemos ter mais informações mais tarde ”, disse um dos coordenadores regionais da OMS, Dorit Nitzan.

O novo teste de anticorpos da fda

A Food and Drug Administration (FDA), agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, aprovou um novo teste para anticorpos contra o coronavírus. Diferente dos testes anteriores, que utilizam material proveniente do nariz e da garganta dos pacientes para identificar o material genético do vírus, o novo procura por anticorpos existentes no sangue, obtido por meio de uma picada no dedo.

Ao identificar os anticorpos, os cientistas podem determinar se o indivíduo está imune ao coronavírus ao mesmo por um período de tempo. Se a imunidade for confirmada, essas pessoas poderão sair de casa com segurança e integrar a força de trabalho. Além disso, tais testes também ajudarão os cientistas a entender melhor como o vírus se dissemina pela população, calculando com mais precisão a taxa de mortalidade.

Além do teste da FDA, pesquisadores na Alemanha estão preparando um estudo em massa sobre quantas pessoas já estão imunes ao coronavírus, permitindo que autoridades preparem os passaportes de imunidade caso os resultados realmente sejam conclusivos. 

imunidade: como adquirimos?

O nosso corpo possui a imunidade inata, presente desde o nascimento, e a adquirida. Esta última ocorre quando o sistema imunológico entra em contato com invasores estranhos, como um vírus, e reconhece substâncias próprias, chamadas antígenos. 

Os componentes da imunidade aprendem, então, a melhor maneira de atacar cada antígeno e desenvolvem uma memória.  Assim, quando o corpo é novamente invadido por aquele invasor, o organismo já sabe como se defender.

No entanto, a extensão da imunidade varia de acordo com cada doença. Por isso, algumas vacinas são aplicadas em dose única, enquanto outras precisam ser aplicadas em várias doses. Além disso, existem vírus que sofrem constantes mutações, como o da gripe. Por isso, novas vacinas devem ser aplicadas todos os anos.

Por outro lado, é raro que uma pessoa seja infectada pelo o mesmo vírus logo após se curar. Por isso, cientistas acreditam que seja possível adquirir imunidade ao coronavírus por ao menos um período de tempo.

 

Referências:

L Bao, W Deng, H Gao et al. Reinfection could not occur in SARS-CoV-2 infected rhesus macaques. Cold Spring Harbor Laboratory. 14 Mar 2020.

Organização das Nações Unidas - Noticias ONU. Permitir el contagio para lograr la inmunidad no es una opción en la lucha contra el coronavirus. 

Manual MSD - Versão Saúde para a Família. Imunidade adquirida.

The Guardian. 'Immunity passports' could speed up return to work after Covid-19.

BBC News. Coronavirus: ¿se puede contraer el covid-19 dos veces?

Business Insider France. People can get the coronavirus more than once, experts warn — recovering does not necessarily make you immune.

The New York Times. Can You Become Immune to the Coronavirus?

 

 

LEIA MAIS