A importância das fibras na dieta enteral

A importância das fibras na dieta enteral

por Equipe Danone Baby 01 de março de 2020 5 minutes

Consumo de fibras é fundamental para manter o intestino funcionando e modular o sistema imunológico

O baixo consumo de fibras pode causar sintomas intestinais como a constipação em qualquer pessoa, inclusive entre as que fazem uso da dieta enteral. Obter esses carboidratos não digeríveis por meio dessa alimentação é um desafio, mas deve ser levado a sério para garantir o bem-estar do paciente e sucesso do tratamento.

para que servem as fibras

As fibras melhoram o funcionamento do intestino, evitando quadros de constipação e diarreia, e servem como “alimento” para as boas bactérias intestinais. Esses microorganismos do bem vivem em nosso intestino e combatem as bactérias patogênicas, que podem causar infecções e prejudicar o organismo. 

Além disso, quando as bactérias utilizam as fibras como alimento, ocorre a liberação de substâncias benéficas, como os carboidratos de cadeia curta. Esse tipo específico de gordura melhora a saúde das células intestinais, pois são fonte de energia para essas células. Além desse efeito local, as fibras alimentares parecem exercer um efeito no sistema imunológico, modulando seu funcionamento. 

Existem diferentes tipos de fibras e cada uma possui uma função diferente para o organismo. Portanto, o ideal é ingerir uma composição variada. Consumir em variedade também ajuda a controlar os sintomas indesejados que certos tipos de fibras podem provocar no organismo, como gases e dores abdominais. 

as fibras alimentares na dieta enteral

As fibras alimentares podem ser subdivididas por seu grau de solubilidade: fibras solúveis e insolúveis. Ambas fazem bem à saúde e devem ser consumidas. Alguns exemplos de fibras solúveis são: frutooligossacarídeos, galactooligossacarídeos, pectinas, inulina e goma arábica. 

Depois de digeridas, elas se transformam em “gel” e permanecem por mais tempo no estômago, dando sensação de maior saciedade. Essa substância é capaz de atrair moléculas de gordura e açúcar, que são eliminadas pelas fezes. Elas são encontradas em leguminosas, como feijão, lentilha e ervilha; em frutas (polpa de maçã, laranja, banana), hortaliças, farelos e sementes.

Já as fibras insolúveis são celulose e amido resistente. Elas são a textura firme de alguns alimentos, como farelo de trigo e hortaliças, mas também podem ser encontradas em nozes, amêndoas, amendoim e em vários tipos de fruta, como pêra e maçã com casca. Elas retêm maior quantidade de água, produzindo fezes mais macias e em maior volume. 

Um estudo publicado em 2001, por exemplo, mostrou que o consumo de fibra solúvel por pacientes em dieta enteral reduziu a incidência de diarréia, melhorando a tolerância à dieta. Outra pesquisa, também divulgada em 2001, concluiu que a adição de diversos tipos de fibras à dieta enteral é uma abordagem mais fisiológica do que a alimentação enteral que leva apenas um tipo da substância. O corpo a tolera melhor e a função intestinal é aprimorada.  

Mas o desafio para nutrições enterais é conseguir fornecer essa variedade de fibras alimentares. Por isso, procure dietas que façam um mix de diferentes tipos de fibras. Além disso, siga as recomendações do seu médico ou nutricionista, pois o profissional poderá indicar qual a melhor combinação para as suas necessidades. Dessa forma, você fornece para o seu corpo os componentes de que ele precisa.

 

Referências:

Spapeh H, Diltoer M, Va Malderen C et al. Soluble fiber reduces the incidence of diarrhea in septic patients receiving total enteral nutrition: a prospective, double-blind, randomized, and controlled trial. Clin Nutr. 2001 Aug;20(4):301-5.

C. J. Green. Fibre in enteral nutrition. International Nutritional Sciences Manager, Nutricia Healthcare, Zoetermeer, The Netherlands.

Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação. Universidade Estadual Paulista. Para que servem as fibras. Disponível em: https://www3.faac.unesp.br/nos/bom_apetite/nutricao/fibras.htm 

 

LEIA MAIS