Dieta enteral em crianças

por Equipe Danone Baby 21 de fevereiro de 2021 5 minutes

Certas condições de saúde exigem que a criança se alimente por meio de um tubo, o que exige preparo e adaptações para toda a família

Para crescerem fortes e saudáveis, crianças devem aprender a “raspar o prato” todos os dias, que deve ser colorido e rico em nutrientes. Mas certas condições de saúde podem impedir a alimentação normal. Quando isso ocorre, a dieta enteral pode ser prescrita como uma estratégia para possibilitar o seu desenvolvimento.

A nutrição enteral é administrada de forma líquida, por meio de um líquido que pode ser inserido na boca ou no abdome do paciente. A alimentação é transmitida diretamente ao estômago ou intestino do paciente. 

Muitas vezes, a criança se adapta a essa situação com mais facilidade do que os adultos, pois tende a se incomodar menos com o entorno. Apesar disso, é importante explicar a condição e saber como apoiá-la.

adaptação e apoio da família

A dieta enteral exige preparo emocional para a criança e também para a família. Dessa forma, ambos poderão enfrentar melhor situações delicadas, como as festinhas infantis ou almoços de família. 

Seja sensível ao que a criança está se sentindo, para que ela se sinta mais confortável. Saiba como dar explicações rápidas, pois outras crianças ou até mesmo adultos vão perguntar sobre a dieta enteral. Boa saída é simplesmente falar que a criança precisa de ajuda para comer, e que algumas ferramentas, como a sonda, são necessárias para isso.

Também é indicado procurar apoio psicológico com um profissional especializado. Participar de grupos e conversar com outros pais que estão na mesma situação também pode ajudar. O importante é buscar ajuda.

Estabelecer uma rotina com a criança também ajuda a adaptação a caminhar mais rápido. Além disso, não hesite em fazer perguntas à equipe médica. Quanto melhor você entender a situação, mais confiança terá para cuidar da criança. 

Quando a dieta enteral é indicada

De acordo com a ESPGHAN (European Society for Paediatric Gastroenterology Hepatology and Nutrition), pacientes pediátricos representam uma população particularmente vulnerável devido às suas necessidades nutricionais específicas. Por isso, quando a alimentação tradicional não é possível, é preciso estabelecer um bom plano de alimentação alternativo. 

A intervenção nutricional apropriada será determinada pela idade, condição clínica, gastrointestinal, digestiva e de absorção. Além disso, as condições de ingestão oral, assim como os hábitos alimentares, também serão levados em conta. 

A dieta enteral costuma ser indicada quando o intestino da criança é parcialmente funcional, mas a sua capacidade de ingestão oral é insuficiente. Para atingir as metas nutricionais, a nutrição enteral pode ser, inclusive, combinada com a alimentação oral. 

O médico deve indicar e acompanhar todos os passos para o estabelecimento da dieta enteral. 

 

 

Referências:

1. Feeding tube awareness foundation. Family and Friends. 2017.

2. Advice, sharing the care for good nutrition. A practical guide to tube feeding. 2016

3. ESPGHAN Committee on Nutrition. Practical Approach to Paediatric Enteral Nutrition: A Comment by the ESPGHAN Committee on Nutrition. JPGN 2010;51: 110–122

LEIA MAIS