O papel dos amigos e da família durante a dieta enteral

O papel dos amigos e da família durante a dieta enteral

por Equipe Danone Baby 20 de fevereiro de 2020 5 minutes

receber apoio e manter a vida social é importante durante a alimentação com a dieta enteral, quando o paciente precisa usar um tubo para poder se alimentar

Socializar e comer são duas atividades que têm tudo a ver. Jantar na companhia dos amigos ou almoçar com a família é sinônimo de diversão e conforto e faz parte do dia a dia de qualquer pessoa.  

O que acontece, então, quando precisamos nos alimentar pela dieta enteral? Essa alimentação é adotada quando o paciente não pode comer alimentos sólidos e precisa se nutrir por meio de uma sonda acoplada no seu abdome ou inserida pelo nariz. Assim, é preciso se adaptar a uma nova rotina que, principalmente no início, pode ser de díficil adaptação. 

Algumas pessoas em dieta enteral relatam que é muito difícil resistir à tentação de não comer. Elas podem sentir falta do gosto da comida ou até mesmo ficar com vergonha do tubo. Por isso, evitam fazer as refeições com outras pessoas ou sair para jantar, por exemplo.  

Mas não precisa ser assim. E nós queremos te ajudar a não perder os momentos tão bons de rever amigos e familiares. 

Veja, abaixo, algumas dicas para lidar com a situação e manter a vida social mesmo durante o uso da dieta enteral: 

  • Converse com pessoas que estão na mesma situação. Por vezes é difícil cobrar de amigos e familiares que entendam ou ajudem em situações que eles nunca estiveram, por isso, conversar com adultos em uso de enteral pode ser de grande ajuda; 

  • Deixe os profissionais da saúde que estão acompanhando o caso a par da adaptação. Por vezes, o acompanhamento por um psicólogo também pode ser recomendado. 

  • O apoio familiar e dos amigos é importante para todo o processo, mas talvez eles ainda hesitem em algumas situações. Eles podem, por exemplo, ficar na dúvida se podem ou não te chamar para um aniversário em um restaurante ou para uma viagem.Tenha em mente que as pessoas ao seu redor querem o seu melhor, mas nem sempre sabem qual a melhor maneira de darem apoio e suporte. Por isso, não sinalize e expresse como deseja ser tratado. Assim, as pessoas podem também se adaptar. 

  • Refeições compartilhadas podem ser inicialmente desconfortantes, mas converse com os seus familiares e amigos. Se você se sentir confortável se alimentando com outras pessoas, todos provavelmente também se sentirão. Você pode levar a sua refeição pronta ou prepará-la rapidamente se estiver na casa de amigos. 

  • Manter outras atividades da rotina – como a vida sexual – também pode parecer um desafio. Nesses casos, o melhor é sempre consultar a equipe médica que o acompanha. Eles saberão te orientar conforme cada caso e situação para que você não se prive do que te faz bem. 

  • Mantenha-se ativo: o tubo não é motivo para você deixar de praticar atividades físicas. Consulte o seu médico e, se ele liberar, não deixe de caminhar, correr ou fazer outro esporte que te dê prazer.  

  • Não deixe de procurar por suporte. Você poderá encontrá-lo entre amigos, familiares, pessoas que estão na mesma condição que você ou em profissionais de saúde. O importante é falar sobre o assunto e se sentir acolhido! 

    Referências

    National Collaborating Centre for Acute Care. Nutrition Support for Adults Oral Nutrition Support, Enteral Tube Feeding and Parenteral Nutrition. Commissioned by the National Institute for Clinical Excellence. 2006. 

    Web Medical Team. Living with a feeding tube.

 

 

LEIA MAIS