Alimentos inflamatórios podem aumentar riscos de doenças do coração e derrames

por Equipe Danone Nutricia 05 de fevereiro de 2021 5 minutes

Carnes processadas, alimentos com muito açúcar e gordura trans estão associados ao aumento de inflamações no organismo

Alimentos naturais ajudam a prevenir inflamações e melhoram a saúde do intestino, do coração, do sistema nervoso e promovem o envelhecimento saudável. Por outro lado, ultraprocessados são inflamatórios e, portanto, têm o efeito contrário.

A inflamação é uma resposta natural de proteção do organismo. Quando machucamos o dedo, por exemplo, o sistema imunológico envia um exército de glóbulos brancos para cercar e proteger determinada área do corpo, provocando reações como vermelhidão e inchaços visíveis. O processo funciona da mesma forma quando temos uma doença menos visível, como a gripe, ou quando há um desequilíbrio no organismo. 

A inflamação pode ocorrer em resposta a substâncias presentes no cigarro, no álcool ou em certos alimentos, ou ser provocada pelo excesso de células adiposas no organismo, como gordura na área da barriga ou das artérias.

Quando ativada de forma excessiva ou persistente, a inflamação pode comprometer o funcionamento de órgãos e sistemas, sendo um fator de risco para doenças cardiovasculares, como infarto ou derrame, desequilíbrios intestinais e acelerar o envelhecimento do organismo. 

alimentos que provocam inflamações no organismo

A alimentação pode tanto prevenir, quanto provocar inflamações no organismo. Os alimentos abaixo são os principais inimigos nesse sentido, pois estão associados ao aumento dos processos inflamatórios: 

  • Alimentos e bebidas com alto teor de açúcar, como doces, chocolate, refrigerantes, bolos, biscoitos e certos cereais;

  • Gordura trans, incluída em alimentos como batata frita, pipoca de microondas, certas margarinas, bolos e biscoitos prontos, doces e alimentos processados que listam óleo vegetal parcialmente hidrogenado no rótulo;

  • Álcool quando consumido em excesso;

  • Carnes processadas, como salsicha, bacon, presunto e salame.

Portanto, alimentos altamente processados devem ser exceção na dieta para reduzir o risco de inflamações.

Quando consultar o médico

A dieta mediterrânea é geralmente rica em vegetais, frutas, grãos integrais, nozes, sementes e azeite de oliva. Peixes e aves devem ser ingeridos com moderação, enquanto produtos lácteos (principalmente iogurte e queijo), carne vermelha, carnes processadas e doces devem ser consumidos com menor frequência. 

Tal dieta é reconhecida por seu potencial em reduzir inflamações, especialmente porque é baseada no consumo de alimentos frescos e naturais. Além de fazer bem para a saúde global, é aliada contra o envelhecimento. Portanto, não deixe de testá-la!

 

 

Referências:

 

Healthline. These ‘Inflammatory Foods’ Can Increase Heart Disease, Stroke Risk: Here’s How to Avoid Them. Disponível em:

https://www.healthline.com/health-news/these-inflammatory-foods-can-increase-heart-disease-stroke-risk-heres-how-to-avoid-them

 

Healthline. 6 Foods that Cause Inflammation. Disponível em:

https://www.healthline.com/nutrition/6-foods-that-cause-inflammation

Harvard Health Publishing - Harvard Medical School. What is inflammation?

Harvard Health Publishing - Harvard Medical School. Understanding inflammation.

The Institute of Food Technologists. Mediterranean diet promotes gut bacteria linked to ‘healthy aging’ in older people

LEIA MAIS