Comidas Saudaveis

O cardápio de hoje define o futuro

por Equipe Danone Nutricia 22 de novembro de 2021 5 minutes

Os hábitos alimentares que adotamos hoje têm o potencial de proporcionar uma vida mais longa e saudável no futuro

Cada grão de arroz ou folha de alface que você coloca no seu prato hoje tem impacto no seu futuro. Quando rica em nutrientes, a alimentação é uma das grandes aliadas da boa saúde e do envelhecimento saudável. Mas quando pobre e insuficiente, é uma vilã que pode até mesmo encurtar a nossa vida.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), evidências científicas garantem os benefícios de uma dieta rica em frutas, vegetais, legumes, nozes e grãos, mas baixa em sal, açúcares e gorduras pouco saudáveis, principalmente as saturadas e trans.

Um estudo publicado no jornal científico The Lancet, por exemplo, demonstrou que uma em cada cinco mortes no ano de 2017 estavam associadas a uma dieta pobre. As doenças cardiovasculares foram, de longe, a maior causa de morte, provocando 10 milhões no mundo todo.

 

Boa dieta vem de berço

O desenvolvimento de uma dieta saudável deve começar no início da vida, com o leite materno, o alimento mais saudável e completo para o bebê. Os benefícios do aleitamento são enormes, com reflexos desde o bom desenvolvimento do cérebro até a prevenção de doenças mais tarde na vida. Em seguida, a introdução alimentar ainda na primeira infância é fundamental para desenvolver bons hábitos e para prevenir a obesidade e outras condições de saúde.

Depois, ao longo da infância e da vida adulta, comer bem é uma das melhores escolhas que podemos fazer para ter uma vida longa e saudável. Segundo a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), 20% do processo de envelhecimento se deve a fatores genéticos, enquanto 20% são influências ambientais e 60% são escolhas que fazemos ao longo da vida. Dessas escolhas, a que mais influência é a alimentação.

Alimentar-se bem hoje é um determinante para o envelhecimento saudável, pois afeta a imunidade, a disposição, o bom humor, o peso, a força muscular, o funcionamento do intestino e tantos outros fatores. De acordo com a SBGG, a alimentação deve ser rica em carboidratos complexos, proteínas de boa qualidade, gorduras de boas fontes alimentares e água. Também deve conter alimentos que possuem propriedades antioxidantes e anti inflamatórias, além de cálcio, vitamina D, probióticos e prebióticos.

 

Como se alimentar ao longo da vida

Veja as recomendações da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia para uma alimentação saudável ao longo da vida:

  • Fontes de carboidratos complexos e fibras, como cereais integrais, aveia, arroz integral, centeio, cevada e quinoa;
  • Leguminosas, como feijão, grão de bico, lentilha e ervilha;
  • Tubérculos, como batata, inhame e aipim;
  • Frutas e vegetais diversos, para obter os diferentes benefícios oferecidos por cada um;
  • Oleaginosas, como nozes, avelã, castanhas, macadâmia e amêndoa;
  • Proteínas de boa qualidade, como ovo, carnes vermelhas magras, carne de frango e peixe;
  • Gorduras boas, provenientes de fontes como óleos vegetais, nozes, sementes, abacate, chocolate amargo e peixes gordurosos, como salmão e atum;
  • Prebióticos como hortaliças, chicória, cebola, alho, alcachofra, aspargo, centeio e grão-de-bico;
  • Probióticos como iogurte, ervilha, pão fermentado, kombucha e missô;
  • Ingestão de água.

O cardápio de hoje define o presente e o futuro. Então, bom apetite!

 

Referências:

Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Alimentação saudável para idosos. Disponível em:

http://www.sbggrj.org.br/rj/arquivos/14006

World Health Organization. Healthy Diet. Disponível em:

https://www.who.int/initiatives/behealthy/healthy-diet

British Nutrition Foundation. Poor diets associated with 11 million deaths worldwide according to the Lancet Global Burden of Disease Study. Disponível em:

https://www.nutrition.org.uk/nutritioninthenews/headlines/globaldiet.html

Ashkan Afshin, Patrick John Sur, Kairsten A. Fay. Health effects of dietary risks in 195 countries, 1990–2017: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2017,

The Lancet, Volume 393, Issue 10184, 2019, Pages 1958-1972. Disponível em:

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/18414240/#:~:text=Diet%20is%20one%20factor%20believed,cognitive%20decline%20among%20elderly%20people.

LEIA MAIS