Enxaqueca: alimentação pode ser gatilho das crises

por Equipe Danone Nutricia 16 de abril de 2021 5 minutes

Certos alimentos, como queijos, chocolates e álcool, podem provocar ou agravar crises de enxaqueca em pessoas que têm a condição

As crises de enxaqueca muitas vezes são incapacitantes por um período de tempo, dependendo da intensidade da dor e dos demais sintomas que podem surgir, como náuseas e vômitos. Por isso, quem as enfrenta com frequência precisa aprender a identificar possíveis gatilhos, como a alimentação.

A enxaqueca geralmente se manifesta como uma dor latejante, de intensidade moderada ou grave, sentida em um lado da cabeça. A condição não está relacionada a outras doenças e suas causas não são bem claras, mas sabe-se que podem ser desencadeadas por falta de sono, estresse, alimentação e outros fatores em pessoas predispostas.

Um estudo publicado em 2012 encontrou uma forte relação entre enxaquecas e a frequência de consumo de carne vermelha e branca, cereais, certos vegetais, frutas, ovos, laticínios e molhos para saladas. 

Segundo o Ministério da Saúde, a pessoa que tem enxaqueca e identifica certos alimentos como gatilhos que agravam as crises deve evitá-los. O Ministério da Saúde destaca, principalmente, queijos amarelos, chocolate e bebidas alcoólicas. A orientação médica é importante, já que adotar uma dieta balanceada e nutritiva é fundamental para a boa saúde.

por que certos alimentos causam enxaqueca?

Certos alimentos possuem substâncias que, de alguma forma, contribuem para as crises de enxaqueca. Os gordurosos, por exemplo, estimulam a liberação de prostaglandina no corpo, um hormônio responsável pela sensação de dor. Já os cafeinados são substâncias que alteram a circulação sanguínea, possivelmente afetando os vasos sanguíneos do cérebro e sinais dos neurônios. Já as bebidas alcoólicas provocam a contração dos vasos sanguíneos, o que pode provocar a dor intensa. 

Outras substâncias também parecem estar relacionadas com o surgimento da enxaqueca, como os nitratos e nitritos, encontrados em carnes processadas, os sulfitos, presentes nos vinhos, e a tiramina, encontrada em queijos e carnes envelhecidas e bebidas fermentadas.

Por fim, adoçantes artificiais e certos corantes presentes em alimentos industrializados podem provocar ou agravar as crises.

Mas atenção, não se deve cortar todos esses alimentos da dieta sem recomendação médica. O profissional da saúde poderá orientar sobre estratégias para testar quais são gatilhos para a enxaqueca. 

alimentos que podem ajudar no controla das crises de enxaqueca

Assim como certos alimentos podem agir como gatilhos ou agravar as crises, outros podem ter efeito contrário e ajudar a controlá-las. O triptofano – substância encontrada na banana, erva-cidreira, maracujá, pão, arroz, feijão e granola, por exemplo – ajuda o corpo a liberar serotonina, que proporciona sensação de bem-estar.

Já os alimentos ricos em selênio, como castanhas, amêndoas e amendoim, diminuem o estresse. Os anti-histamínicos que inibem a produção de prostaglandina, responsável pela sensação de dor, são encontrados no orégano, cravo, canela e gengibre.

Consulte o médico ou nutricionista para decidir quais alimentos comer com mais frequência e quais devem ser consumidos com moderação.

 

Referências: 

Ministério da Saúde. Mitos e verdades sobre as crises de enxaqueca

Mayo Clinic. Migraine

National Health Service. Migraine

Harvard Health Publishing - Harvard Medical School. Food and migraine: a personal connection. 

Wannmacher L, Ferreira MBC. Enxaqueca: mal antigo com roupagem nova. ISSN 1810-0791 Vol. 1, Nº8 Brasília, Julho de 2004. 

Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde - Universidade Federal de São Paulo. Caso Complexo 9 - Família Lima. Fundamentação Teórica: Cefaleia. 

Hansen J, Charles A. Differences in treatment response between migraine with aura and migraine without aura: lessons from clinical practice and RCTs. J Headache Pain 20, 96, 2019.

Nazari F, Eghbali M. Migraine and its relationship with dietary habits in women. Iran J Nurs Midwifery Res. 2012;17(2 Suppl 1):S65-S71.

LEIA MAIS