Os perigos das dietas restritivas para a saúde

por Equipe Danone Nutricia 31 de agosto de 2020 5 minutes

Dietas restritivas em carboidratos não costumam ser eficientes para a perda de peso a longo prazo e podem provocar sintomas incômodos, inclusive danos ao coração

Dieta restritivas podem ter resultados extremos, mas nem sempre do jeito que você imagina. Muitas vezes elas até ajudam a perder peso rapidamente. Porém, as consequências podem ser graves. Além da possibilidade de engordar de novo no futuro, o seu corpo pode ser privado de nutrientes importantes para funções básicas.

A dieta restritiva é aquela que incentiva o indivíduo a deixar de consumir algum macronutriente, os componentes da alimentação que são fundamentais para o corpo humano, como proteínas, carboidratos e gorduras. A famosa “dieta lowcarb” é um exemplo, cujo protocolo é reduzir drasticamente ou praticamente zerar o consumo de carboidratos.

Outros exemplos de dietas restritivas, que estão ou já estiveram na moda, são a “dieta da proteína”, na qual o indivíduo deve consumir apenas alimentos ricos em proteínas e com baixo teor de carboidratos; a “dieta da sopa”, baseada no consumo de sopas, frutas, e iogurtes; a “dieta da lua”, que prega o consumo de apenas líquidos durante 24 horas a cada mudança de fase da lua, que ocorre uma vez por semana; e a “dieta Dukan”, um processo de emagrecimento em quatro fases que também prega o consumo de proteínas em detrimento dos carboidratos.

O perigo das dietas restritivas

Segundo o Ministério da Saúde, as dietas restritas em carboidratos, como a “dieta dukan”, podem ajudar o indivíduo a perder peso rapidamente. No entanto, aproximadamente 75% dos indivíduos que as adotam retornam ao peso anterior. Isso ocorre pois esse tipo de alimentação não costuma promover a reeducação alimentar e a adoção de outros hábitos saudáveis, essenciais para manter um peso adequado.

Dietas restritivas em carboidratos e pobres e proteínas podem, ainda, sobrecarregar os rins e desregular o metabolismo. Além disso, também segundo o Ministério, a realização dessas dietas pode provocar a cetoacidose (falta de insulina no organismo), caracterizada por sintomas como:

● Hiperglicemia (elevação da glicose no sangue);

● Vômitos

● Dificuldades respiratórias

Além disso, segundo a Secretaria de Vigilância Nutricional da Secretaria de Saúde de Goiás, adotar dietas restritivas pode provocar a perda de massa magra, “queimada” pelo corpo para obter energia quando há baixo consumo de carboidratos. A massa magra é responsável pelos movimentos voluntários e involuntários do corpo, incluindo os que envolvidos no funcionamento do coração e intestino.

A Secretaria lista, ainda, outras possíveis consequências das dietas restritivas:

● Aumento do colesterol, o que pode provocar doenças cardiovasculares e cálculo biliar;

● Redução na concentração de hormônios da tireóide, diminuindo o gasto de energia em repouso;

● Diminuição da frequência cardíaca e pressão arterial;

● Diminuição dos níveis de potássio, crucial para a função cardíaca e para a construção de músculos;

● Intolerância ao frio;

● Queda de cabelo;

● Fadiga;

● Dificuldades de concentração;

● Nervosismo;

● Constipação ou diarreia;

● Pele seca;

● Unhas fracas;

● Flacidez;

● Tontura.

Parece um preço alto a se pagar para perder um pouco de peso, não é mesmo? Principalmente quando o emagrecimento não ocorre por meio de uma reeducação alimentar, uma das medidas eficientes para manter um peso saudável.

Se você está infeliz com a sua aparência ou se tem problemas de saúde decorrentes de um peso inadequado, procure um profissional de saúde, como médico ou nutricionista, que possa elaborar um plano de alimentação adequado às suas necessidades. Além disso, foque-se na adoção de hábitos saudáveis, como a prática de exercícios físicos.

Perder peso pode ser necessário quando afeta a sua saúde, mas o processo deve ser feito com cuidado e respeito ao seu corpo.

 

Referências:

Ministério da Saúde. Desmistificando dúvidas sobre alimentação e nutrição - Material de apoio para profissionais de saúde

Coordenação de Vigilância Nutricional GVEDNT / SUVISA / SES-GO. As consequências da dieta da moda para sua saúde.

National Eating Disorders Collaboration. Disordered Eating and Dieting.

LEIA MAIS