Reeducação alimentar promove saúde e peso adequado sem sofrimento

por Equipe Danone Nutricia 6 de janeiro de 2021 5 minutes

A reeducação alimentar é mais vantajosa do que dietas para manter a saúde e a boa forma

A reeducação alimentar é uma velha conhecida de quem procura perder peso. Muito mais do que uma dieta, ela consiste, na verdade, na adoção de um novo estilo de alimentação.

O Ministério da Saúde orienta que a reeducação alimentar é a melhor maneira de se manter saudável e em forma e deve ser adotada em vez de dietas – a maioria delas muito restritivas – que podem acabar prejudicando a saúde e bem-estar.

Para perder ou manter o peso, não é preciso passar fome e nem deixar de lado todos os seus alimentos preferidos. O caminho mais seguro é adotar hábitos alimentares mais equilibrados que são para a vida toda.

O que é reeducação alimentar

Os nossos hábitos alimentares vão sendo construídos ao longo do tempo, principalmente durante a primeira infância. Nesse processo, também estão envolvidos os valores culturais, sociais, afetivos e emocionais relacionados à comida.

Pessoas que aprendem desde cedo a descontar suas frustrações em delícias açucaradas, por exemplo, provavelmente seguem a mesma tendência no futuro, o que pode contribuir para o ganho de peso inadequado e prejudicar a saúde.

A reeducação alimentar corrige os hábitos alimentares prejudiciais, substituindo-os por outros mais saudáveis e que estejam de acordo com a rotina e as preferências da pessoa. Por isso, cada um deve seguir uma reeducação individual, sempre com a orientação de um nutricionista.

por que consultar o nutricionista?

O profissional de saúde sugere as mudanças corretas para cada caso, considerando suas particulares. Um atleta, uma gestante e um idoso têm necessidades diferentes e o apoio do nutricionista é imprescindível para identificá-las.

Além de orientar sobre quais alimentos devem ser consumidos e em quais horários, ele irá orientar em relação a hábitos não saudáveis, como pular o café da manhã ou comer com pressa.

Portanto, a reeducação vai além da formulação do cardápio adequado: ela ensina a tornar isso um hábito, aliado a outras medidas para melhorar a alimentação em geral. Aos poucos, os resultados são a perda de peso, a melhora da saúde e do bem-estar.

quais são os benefícios da reeducação alimentar?

A adoção das novas práticas pode ajudar a reduzir o colesterol, a glicemia, a pressão sanguínea e até mesmo a recorrência de problemas bucais, como cáries. Além disso, como contribui para a melhora da saúde, pode prevenir doenças no futuro. A reeducação alimentar também traz benefícios para a saúde mental e bem-estar, melhorando a disposição e o sono.

A longo prazo, o paciente deve ter autonomia e segurança o suficiente para continuar a se alimentar bem sem a supervisão de um profissional de saúde.

qual a diferença entre reeducação alimentar e dieta?

A principal diferença é que a dieta geralmente propõe a restrição de certos alimentos durante um período do tempo, além de não considerar a adoção de outros hábitos, como mastigação adequada. A reeducação alimentar, por sua vez, é um plano para a vida toda que se adequa às preferências e necessidades específicas de cada pessoa. Ela pode envolver a redução do consumo de certos alimentos, mas sempre de forma gradativa.

como a reeducação alimentar funciona?

Segundo o Ministério da Saúde, mastigar corretamente, respeitar os horários estabelecidos e seguir o cardápio proposto pelo nutricionista são princípios essenciais para o sucesso da reeducação alimentar.

A mastigação é a primeira etapa da digestão, pois o intestino depende dela para funcionar corretamente. Portanto, comer muito rápido e engolir a comida, além de consumir muito líquido durante a refeição, são hábitos prejudiciais.

Os horários corretos para alimentação devem ser sugeridos pelo nutricionista, de acordo com a rotina do paciente. Mas, segundo o Ministério da Saúde, para evitar a compulsão, recomenda-se comer de duas ou duas horas ou de três em três horas. Os lanches entre as refeições maiores, como almoço e jantar, devem ser saudáveis e estar dentro do cardápio sugerido, como frutas, sucos e castanhas.

Por fim, o Ministério da Saúde também destaca a importância de um menu balanceado e completo, que contenha todos os nutrientes necessários para a manutenção da saúde. Os alimentos funcionais, que têm benefícios já estudados e comprovados, são boas pedidas. As fibras, por exemplo, contribuem para a saciedade, enquanto os carboidratos dão energia e as proteínas são fundamentais para a construção e saúde dos músculos.

Consulte o nutricionista para começar esta nova etapa!

 

Referências:

Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. Brasília - 2008.

Ministério da Saúde. Reeducação alimentar é a melhor maneira para manter a saúde e a boa forma.

LEIA MAIS