Suplementação oral: o que é e para que serve

por Equipe Danone Nutricia 03 de fevereiro de 2021 5 minutes

A suplementação oral complementa a dieta de pessoas que não conseguem atingir os nutrientes necessários pela alimentação oral ou estão desnutridas

A nossa alimentação regular nem sempre é suficiente para atender todas as necessidades nutricionais do organismo, principalmente quando o corpo está fragilizado. Certas condições de saúde, tratamentos médicos e momentos de recuperação após uma alta hospitalar podem exigir o uso da suplementação oral.

O que é suplementação oral?

Os suplementos orais são alimentos, geralmente na forma líquida ou em pó, que fornecem macro e micronutrientes necessários ao organismo. Como o próprio nome sugere, devem ser consumidos pela boca como se fossem bebidas ou misturados aos alimentos. 

para que serve a suplementação oral?

O suplemento oral é um produto que fornece nutrientes extras para compor a dieta. Com fórmulas distintas, eles podem atender pessoas nas mais variadas condições, como pessoas que passaram por cirurgias da boca, do sistema digestivo ou têm tumores.

Também há suplementos com nutrientes específicos para quem tem diabetes, sarcopenia (que é a perda de massa magra e força com o envelhecimento) ou doenças renais, por exemplo. 

Após a alta hospitalar, a suplementação oral também tem papel importante, já que um paciente que se recupera de uma cirurgia, por exemplo, geralmente tem restrições alimentares ou precisa manter o peso adequado para uma boa recuperação. 

A suplementação oral é utilizada para melhorar a ingestão energética, proteica e de micronutrientes. Muitas vezes, a alimentação adequada e completa é uma questão decisiva para o sucesso do tratamento de doenças crônicas e agudas. Assim, o uso do suplemento é fundamental.

do que os suplementos orais são compostos?

Os suplementos orais podem conter diversas propriedades e nutrientes, como proteínas, fibras, carboidratos, lipídios e carotenoides. Aqueles que precisam ganhar peso devem tomar suplementos mais calóricos, enquanto os que precisam ganhar massa magra devem usar os ricos em proteínas. 

Há, ainda, nutrientes para pacientes com necessidades específicas. Um exemplo: quem tem doença renal crônica e faz diálise pode melhorar a qualidade nutricional se consumir um suplemento rico em proteína (o processo de diálise prejudica a absorção do nutriente, por isso o aporte tem de ser mais elevado) e balanceado em fósforo e potássio (em excesso, eles podem piorar o quadro).

A alimentação adequada pode determinar o sucesso do seu tratamento, recuperação, saúde e qualidade de vida. Claro, sempre sob orientação médica ou do nutricionista.

em quais casos a suplementação oral pode ser recomendada?

Após a alta hospitalar

Após a alta hospitalar, a nutrição adequada tem papel importante para apoiar a recuperação e a saúde, reduzindo os riscos de reinternação. No hospital, o paciente segue a dieta oferecida durante a internação, composta por alimentos definidos pela equipe profissional especialmente para as suas condições de saúde. Em casa, pode ser mais difícil seguir as recomendações médicas, principalmente se as condições de saúde ainda estiverem debilitadas.

Segundo estudo realizado em 2019 pela Academia de Nutrição e Dietética, nos Estados Unidos, o uso de suplemento oral foi associado a uma redução de 38,8% na reinternação hospitalar em geral, 46,1% de pacientes oncológicos e 58,8% daqueles que estavam na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Além disso, o uso de suplementos reduz os gastos com consultas médicas, medicamentos e com uma nova reinternação, além de trazer mais praticidade para o dia a dia de quem ainda está se recuperando após um período internado. 

Cicatrização de feridas

A nutrição tem papel importante na cicatrização de feridas. O machucado também é algo interno, que foi lesado e, portanto, precisa ser recuperado de dentro para fora. Proteínas – que participam da construção, manutenção e recuperação de tecidos – assim como vitaminas e minerais – que exercem funções antioxidantes e anti-inflamatórias – são fundamentais nesse processo.

Pessoas que passam o dia todo na mesma posição, pois estão acamadas ou em cadeiras de roda, costumam desenvolver feridas chamadas "lesões por pressão", popularmente conhecidas como escaras. Elas ocorrem pela pressão externa feita pelo contato prolongado com a superfície. Em um primeiro momento, a região fica avermelhada, mas se não for tratada, pode destruir camadas de pele e deixar ossos e músculos expostos. 

Essa população pode fazer uso de um suplemento oral hiperproteico e completo com outros nutrientes para garantir e acelerar o processo de cicatrização. O uso de suplementos pode ser necessário especialmente para aqueles que têm dificuldades para manter uma alimentação balanceada devido à condição de saúde ou idade avançada.

Problemas renais

Aqueles com doenças renais crônicas dependem da alimentação correta para melhor saúde, qualidade de vida e manejo dos sintomas. Mas essa dieta é um tanto quanto delicada, já que enquanto é preciso manter os níveis nutricionais elevados de certos nutrientes, outros precisam ser controlados, como cálcio, fósforo e sódio. O alto nível deles contribui para o declínio da função renal e para os sintomas.

Assim, a suplementação oral é indicada para ajudar a consumir todos os nutrientes necessários na medida certa. Dessa forma, ajuda a controlar os sintomas e traz mais qualidade de vida.

Câncer

A nutrição é fundamental para o sucesso do tratamento da pessoa com câncer. Tratamentos como quimioterapia e radioterapia podem atingir as células saudáveis do organismo e provocar sintomas como náuseas, vômitos e perda de peso. Além disso, aqueles que passam por cirurgias ou estão muito fragilizados pela própria doença, têm risco de sofrer desnutrição, principalmente depois que recebem alta do hospital e não consomem mais a dieta elaborada na instituição.

Para prevenir e lidar com os impactos nutricionais da quimioterapia e da radioterapia, o nutricionista irá elaborar um cardápio personalizado, o que muitas vezes inclui o uso de suplementos orais elaborados especialmente para essa condição. 

Nutrientes como proteínas e fibras ajudam a manter o peso, a dar energia e a manter o organismo forte e saudável para receber o tratamento, combater a doença e se recuperar. Além disso, vitaminas e minerais com propriedades antioxidantes, por exemplo, protegem contra os efeitos adversos da quimioterapia. 

Idosos 
Envelhecer não é doença, mas reduz a eficiência das funções do corpo. Idosos podem apresentar uma série de problemas que prejudicam a nutrição adequada, como perda dentária, perda de paladar e apetite, e dificuldade na absorção de nutrientes. 

Além disso, muitas das doenças cuja incidência aumenta com a idade estão relacionadas a fatores alimentares, como vários tipos de câncer e condições cardiovasculares. O idoso desnutrido também está em maior risco de apresentar a síndrome da fragilidade, caracterizada pela perda de peso e massa magra. Assim, a pessoa tem dificuldade para realizar tarefas simples, como caminhar e cuidar da casa, e tem mais riscos de sofrer quedas.

Para o idoso em risco nutricional, suplementos orais que possuem composição balanceada de proteínas e outros nutrientes, como fibras, vitaminas e minerais, apoiam o ganho de massa magra e dão energia para o dia a dia, além de evitar que a pessoa se machuque ou que sua saúde decline. 

Conclusão: o uso de suplementos orais costuma ser recomendado pelo médico ou nutricionista sempre que identificar uma necessidade de balancear as necessidades energéticas, de vitaminas, minerais, proteínas e outros nutrientes. Tais produtos podem ser utilizados para diversas condições e cada um tem sua função. Preste atenção à qualidade de tudo que você consome na sua dieta, seja em forma de alimentos ou suplementos.

 

Referências:

 

Ministério da Saúde. Complementos orais: quando usar? Congresso Brasileiro de Nutrição Oncológica do INCA. 01 a 02 de outubro de 2009. Disponível em:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/palestras/cancer/complementos_orais.pdf

Medical Nutrition International Industry. Oral Nutrition Supplements. Disponível em:

https://medicalnutritionindustry.com/medical-nutrition/about-medical-nutrition/oral-nutritional-supplements/#:~:text=Oral%20Nutritional%20Supplements%20(ONS)%20provide,and%20format%20are%20important%20considerations.&text=They%20may%20be%20suitable%20as,a%20supplement%20to%20normal%20foods. 

Ana Teresa Gantes Padrão. Quimioterapia e Nutrição. Dissertação de Mestrado em Medicina. Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra. Abril 2014. 

Alberda, Cathy, Andrea Graf, and Linda McCargar. "Malnutrition: etiology, consequences, and assessment of a patient at risk." Best practice & research clinical gastroenterology 20.3 (2006): 419-439.

 Volkert, Dorothee, et al. "ESPEN guidelines on enteral nutrition: geriatrics." Clinical nutrition 25.2 (2006): 330-360.

Mullin GE, Fan L, Sulo S, Partridge J. The Association between Oral Nutritional Supplements and 30-Day Hospital Readmissions of Malnourished Patients at a US Academic Medical Center. J Acad Nutr Diet. 2019 Jul;119(7):1168-1175. 

Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Síndrome da fragilidade e suas especificações. Disponível em:

https://sbgg.org.br/sindrome-da-fragilidade-e-suas-especificacoes/

Fred C. Ko, Jeremy D. Walston.  Frailty Syndrome. Evidence-Based Practice in Palliative Medicine. 2013. Disponível em:

https://www.sciencedirect.com/topics/medicine-and-dentistry/frailty-syndrome