8 razões para caminhar meditando

por Equipe Danone Nutricia 08 de outubro de 2020 5 minutes

Caminhada com meditação é uma prática com benefícios à saúde física e mental

A meditação é uma prática que tem se popularizado como forma de lidar com a ansiedade e cuidar da saúde mental. Mas para os mais inquietos, ficar sentado em silêncio por alguns minutos é desafiador. Caminhar meditando pode, então, ser uma alternativa.

Porém, a prática também exige concentração e disciplina. De acordo com o site Healthline, um portal conduzido por profissionais de saúde americanos que publica artigos baseados em evidências científicas, a caminhada com meditação tem origens no budismo e pode ser utilizada como parte do mindfulness.

Mindfulness é um conhecimento milenar com raízes budistas que era praticado pelo próprio Ghandi. A técnica foi trazida ao ocidente pelo biólogo Jon Kabat-Zinn, em 1979, quando começou a fazer pesquisas sobre o tema na Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos. A ideia é alcançar um estado mental no qual nossa atenção está focada no presente, por meio de práticas contemplativas com foco em aumentar a qualidade de vida e o autoconhecimento.

A prática se difundiu pela cultura ocidental e encontrou várias aplicações, como a redução de dores crônicas e dos níveis de estresse. A caminhada com meditação, como parte do mindfulness, pode ajudar no equilíbrio e trazer serenidade. Também ajuda a desenvolver consciência sobre o ambiente e o próprio corpo.

Normalmente, durante a prática, a pessoa anda em círculo, para frente e para trás, em linha reta ou em zigue zague. Também é possível percorrer uma distância maior, mas o que importa é manter a concentração e um ritmo lento. Frequentemente, os praticantes meditam um pouco sentados, depois caminham e assim por diante, mantendo a sequência.

Ao longo da prática, pode-se incorporar um tipo de respiração ou mantra típicos da meditação. Para adotá-la, o ideal é procurar a instrução de profissionais especializados.

O Healthline listou alguns benefícios da caminhada com meditação. Veja quais são eles:

1 - Melhora o fluxo sanguíneo

A caminhada com meditação pode ser adotada por pessoas que ficam sentadas por longos períodos para fazer o sangue fluir, principalmente nas pernas. A prática ajuda a combater o sedentarismo, a dar energia e a aliviar sentimentos de desânimo ou estagnação.

2 - Melhora a digestão

Caminhar tranquilamente após as refeições é forma de melhorar a digestão, especialmente se você está se sentindo cheio ou pesado. O movimento estimula o trato digestivo a funcionar com mais eficiência e pode prevenir a constipação.

3 - Reduz a ansiedade

Um estudo publicado em 2017 por pesquisadores da Universidade no Mississippi, nos Estados Unidos, e da Universidade de New South Wales, na Austrália, mostrou que acaminhada é mais eficaz na redução dos sintomas da ansiedade quando combinada à meditação.

Os participantes que apresentaram as mudanças mais significativas em seus níveis de ansiedade meditaram antes, durante ou depois de caminhar. O grupo de controle, cujos participantes apenas caminharam, apresentaram menor redução dos níveis de ansiedade em comparação aos demais.

4 - Melhor circulação e níveis de açúcar no sangue

Um estudo publicado em 2016 por pesquisadores da Universidade de Bangkok, na Tailândia, e da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, concluiu que a prática de meditação com caminhada teve um efeito positivo nos níveis de açúcar no sangue e na circulação em pessoas com diabetes tipo 2.

Os participantes foram divididos em dois grupos: um deles praticou a caminhada com meditação por 30 minutos, três vezes por semana, durante 12 semanas. O outro praticou a caminhada tradicional pelo mesmo período. O grupo que adotou a caminhada com meditação mostrou melhores resultados do que o que adotou a caminhada tradicional.

5 - Alivia a depressão

Manter-se ativo é fundamental para a saúde mental, sobretudo conforme envelhecemos. O exercício ajuda a aumentar os níveis de condicionamento físico e o humor. Segundo um estudo feito em 2014, também por pesquisadores americanos e tailandeses, participantes idosos apresentaram menos sintomas de depressão depois de praticar a caminhada com meditação três vezes por semana durante três meses.

6 - Melhora a qualidade do sono

Em 2019, pesquisadores do Instituto de Promoção da Saúde, Esporte e Ciências de uma universidade da Hungria descobriram que o exercício moderado, mas feito regularmente, tem efeito positivo na qualidade do sono.

Portanto, não é preciso fazer atividades físicas de alta intensidade para dormir melhor. Caminhar meditando ajuda a melhorar a flexibilidade e a reduzir a tensão muscular. Além disso, a caminhada ajuda a reduzir sentimentos de estresse e ansiedade, para que a mente fique calma e clara.

7 - Torna os exercícios mais agradáveis

Incorporar a meditação à caminhada pode ser o que faltava para muita gente apreciar a prática de exercícios físicos. Segundo um estudo feito pela Washington State University, pessoas que ouviram uma gravação de meditação guiada enquanto caminhavam em uma esteira acharam a atividade mais agradável do que aqueles que apenas caminharam.

Os participantes foram instruídos a perceber suas sensações físicas e emocionais ao longo do exercício. Os pesquisadores concluíram que a atenção plena, provocada pelo estado de mindfulness, tem o potencial de inspirar a conexão com o exercício de forma mais positiva.

8 - Melhora o equilíbrio

Um estudo de 2019, feito por pesquisadores da Srinakharinwirot University, na Tailândia, concluiu que mulheres mais velhas que praticam a caminhada com meditação têm melhor equilíbrio, consciência corporal e coordenação. Segundo a pesquisa, isso ocorre por que a prática envolve a percepção dos movimentos das pernas e tornozelos durante a lenta caminhada.

Pronto para sair caminhando e meditando por aí?

 

Referências:

Healthline. The Benefits of Meditation Walks.

Chatutain, A. Pattana, J. Parinsarum, T et all. Walking meditation promotes ankle proprioception and balance performance among elderly women. Journal of Bodywork and Movement Therapies. Oct 24 2018. Disponível em: https://www.bodyworkmovementtherapies.com/article/S1360-8592(18)30451-0/fulltext#secsectitle0010

Cox AE, Roberts MA, Cates HL, McMahon AK. Mindfulness and Affective Responses to Treadmill Walking in Individuals with Low Intrinsic Motivation to Exercise. Int J Exerc Sci. 2018;11(5):609-624. Published 2018 Jan 3. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5841682/

Feifei Wang & Szilvia Boros (2019) The effect of physical activity on sleep quality: a systematic review, European Journal of Physiotherapy, DOI: 10.1080/21679169.2019.1623314. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/21679169.2019.1623314

Susaree Prakhinkit, Siriluck Suppapitiporn, Hirofumi Tanaka, and Daroonwan Suksom.The Journal of Alternative and Complementary Medicine.May 2014.411-416.http://doi.org/10.1089/acm.2013.0205. Disponível em: https://www.liebertpub.com/doi/10.1089/acm.2013.0205

Gainey, A. Himathongkam, T. Tanaka, H. Suksom, D. Effects of Buddhist walking meditation on glycemic control and vascular function in patients with type 2 diabetes. Complementary Therapies in Medicine. Volume 26, June 2016, Pages 92-97. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0965229916300346?via%3Dihub

LEIA MAIS