Ataque de pânico ou crise de ansiedade: como diferenciar?

Ataque de pânico ou crise de ansiedade: como diferenciar?

por Equipe Danone Nutricia 23 de novembro de 2021 5 minutes

Ataque de pânico e ansiedade podem provocar sintomas semelhantes, mas são condições de saúde mental diferentes

Coração acelerado, respiração curta e dor no peito são sintomas assustadores e que podem indicar condições graves, como um ataque cardíaco. Mas também podem ser consequência de um ataque de pânico ou de uma crise de ansiedade.

Condições psicológicas podem provocar sintomas físicos, principalmente quando são crônicas, ou seja, estão presentes por um longo período de tempo.

A síndrome do pânico e a ansiedade são duas condições de saúde mental diferentes, mas que podem provocar sintomas parecidos. Ambas devem ser tratadas e merecem atenção profissional, pois podem prejudicar a qualidade de vida e até a saúde física. Entenda a diferença:

O que é síndrome do pânico

A síndrome do pânico é diagnosticada quando ocorrem os ataques de pânico, picos de ansiedade que ocorrem de uma hora para a outra de forma inesperada. Podem surgir em qualquer momento, como durante um filme no cinema ou na hora de dormir. Segundo a Associação de Ansiedade e Depressão da América (ADAA), o transtorno geralmente começa na idade adulta, após os 20 anos, mas eventualmente pode se manifestar em crianças. Mulheres são mais propícias a apresentá-lo do que os homens.

O transtorno pode interferir muito na vida diária, fazendo com que as pessoas faltem ao trabalho e deixem de comparecer a compromissos sociais. Além disso, estão associados ao medo de morrer, então quem convive com o ataque de pânico pode marcar muitas consultas no médico pelo medo constante de estar doente, por exemplo.

Os principais sintomas de uma síndrome do pânico são:

  • Batimentos cardíacos acelerados
  • Dor no peito
  • Tontura ou vertigem
  • Ondas de calor ou calafrios
  • Náusea
  • Dormência ou formigamento nas extremidades
  • Tremores no corpo
  • Falta de ar
  • Dor de estômago
  • Suor
  • Sensação de estar sufocando ou engasgando

 

O que é ansiedade

Sabe aquele friozinho na barriga que dá na hora de falar em público? Ou o medo de tirar nota baixa antes de uma prova? Isso é ansiedade, um sentimento que todo mundo tem de vez em quando.  

Segundo o Ministério da Saúde, a ansiedade não é prejudicial e pode até nos ajudar a ficar alerta diante de uma situação complicada. Mas pode virar doença quando ocorre com muita frequência ou se manifesta por meio de crises. Nesses casos, os médicos a classificam como um transtorno de saúde mental.

Diferente da síndrome de pânico, que vem em picos inesperados, a ansiedade está sempre presente. As pessoas que têm ansiedade estão quase sempre preocupadas, angustiadas ou com medo. Geralmente, a condição está associada à antecipação de uma situação, experiência ou evento estressante e pode acontecer gradualmente.

As crises de ansiedade podem se manifestar por:

  • Dor no peito
  • Tontura
  • Boca seca
  • Cansaço
  • Irritabilidade
  • Perda de concentração
  • Medo de ser publicamente humilhado
  • Formigamento ou dormência nas extremidades
  • Respiração curta
  • Sensação de estar engasgando
  • Preocupação exagerada
  • Dificuldades para controlar os pensamentos ou as atitudes
  • Sensação de estar fora da realidade

As crises de ansiedade geralmente ocorrem diante de uma situação específica, como falar em público. Diante da perspectiva de ter que fazer algo assim, o coração dispara, o corpo treme e a respiração fica irregular. Porém, a condição pode ser tão forte que passa a prejudicar atividades simples do dia a dia.

 

O que fazer durante um ataque de pânico ou crise de ansiedade?

Quem enfrenta ataques de pânico ou crise de ansiedade deve procurar apoio profissional para tratar as causas, os sintomas e aprender a desenvolver maneiras de lidar com as crises quando acontecerem.

Diagnosticar e reconhecer a presença da síndrome do pânico ou da ansiedade é fundamental para a melhora gradativa. Durante a crise, você estará mais preparado para lidar com ela se souber reconhecê-la.

A meditação e o mindfulness são práticas que podem ajudar a controlar essas crises e até a reduzir a frequência das mesmas. Elas auxiliam a manter um estado de consciência corporal, equilíbrio e foco no momento presente.

O Ministério da Saúde destaca, ainda, a prática de atividades físicas como aliadas da saúde mental. Portanto, se notar os sintomas das crises de pânico ou ansiedade, procure ajuda  de um profissional de saúde e, conforme orientado, adote hábitos que te façam bem.

 

Referências:

Ministério da Saúde. Ansiedade. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/224_ansiedade.html

National Institute of Mental Health. Panic Disorder: When Fear Overwhelms. Disponível em: https://www.nimh.nih.gov/health/publications/panic-disorder-when-fear-overwhelms/index.shtml

Anxiety & Depression Association of America. Panic Disorder. Disponível em: https://www.nimh.nih.gov/health/publications/panic-disorder-when-fear-overwhelms/index.shtml

Medical News Today. How do you know if you're having a panic or anxiety attack?. Disponível em: https://www.medicalnewstoday.com/articles/321798

LEIA MAIS