Fadiga durante a atividade física: por que ocorre e como evitar

por Equipe Danone Nutricia 19 de abril de 2021 5 minutes

A boa alimentação e hidratação é fundamental para quem pratica exercícios físicos com regularidade

Durante as atividades físicas, o corpo pode fazer esforços aos quais não está acostumado. Os músculos acabam se cansando e podem até mesmo ficar doloridos após a prática. Esse quadro é chamado de fadiga muscular. 

A fadiga muscular pode ocorrer tanto entre sedentários que estão começando a se exercitar, quanto entre pessoas que praticam atividades físicas com certa frequência e atletas.

O que é fadiga muscular

No início da prática de exercícios, os músculos estão fortes e resistentes. O controle e a execução dos movimentos envolve uma série de processos fisiológicos, partindo do cérebro até a musculatura esquelética.

A fadiga muscular ocorre quando há uma falha em algum nível desse processo, seja nos fisiológicos que ocorrem no sistema nervoso central, ou nos mecânicos que ocorrem no sistema muscular. Ela ocorre com frequência quando o corpo está se adaptando a um novo regime de atividades físicas, por exemplo, como um aviso de que o organismo atingiu seu limite físico ou metabólico naquele momento. 

Diversos fatores podem causar a fadiga muscular, como alimentação inadequada, desidratação e o próprio condicionamento físico do corpo. Condições de saúde também podem estar associadas, como  a anemia e situações que prejudicam as capacidades musculares e a imunidade, como a fibromialgia. Condições emocionais, como privação de sono e ansiedade, também podem ter impacto no rendimento físico e provocar a fadiga muscular.

sintomas da fadiga muscular

A fadiga muscular pode ocorrer em qualquer parte do corpo. Os principais sinais são:

  • Fraqueza muscular

  • Dor localizada

  • Falta de ar

  • Espasmos musculares

  • Tremedeira

  • Cãibras musculares

    Se os sintomas piorarem ou impedirem o realizamento das tarefas diárias, procure um médico imediatamente para fazer um diagnóstico e descartar outras condições mais sérias.

alimentação e FADIGA MUSCULAR

A alimentação adequada deve caminhar de mãos dadas com a prática de exercícios físicos. O consumo de proteínas, por exemplo, deve ser adotado para a construção e recuperação muscular. 

Atividades como praticar musculação ou correr causam ao corpo um estresse físico, pois as células musculares trabalham além do seu limite. Assim, ocorre uma hipertrofia muscular, que requer a reposição de proteínas para que a actina e a miosina continuem fazendo seu processo normal e permitam o movimento adequado do corpo.

A recuperação muscular repõe o estoque de energia que o músculo utilizou durante a prática de exercícios ou para os movimentos do dia a dia, além de restaurar as lesões provocadas pela atividade física. 

Por isso, a dieta de quem pratica esportes deve ser rica em fontes de proteínas, como carnes brancas, ovos e fontes de origem vegetal, como quinoa, grãos e oleaginosas. Além disso, o uso de suplementos proteicos como o Whey Protein pode ser recomendado pelo nutricionista. Eles possuem aminoácidos essenciais que são rapidamente absorvidos pelo corpo e, portanto, participam de forma ativa na construção de músculos e tecidos.

Além das proteínas, os carboidratos saudáveis dão energia e também devem ser consumidos antes e depois da prática de exercícios. Cereais, torradas, macarrão e arroz integrais, iogurte desnatado, frutas e legumes devem fazer parte das refeições. 

A deficiência de ferro também pode estar relacionada à fadiga, pois provoca cansaço geral e pode prejudicar a recuperação e a função imunológica. Por isso, é importante o monitoramento os níveis de ferro no organismo. 

prevenção e tratamento da fadiga muscular

A nutrição e a hidratação adequadas são essenciais para prevenir e tratar a fadiga muscular. Em muitos casos, quando a fadiga se instala, melhora naturalmente com repouso e recuperação, além de boa alimentação.

Se a fadiga ocorrer com frequência, pode ser importante procurar um médico para entender se está relacionada a outra condição de saúde. 

 

Referências: 

Harvey W. Wallmann, Chapter 5 - Muscle Fatigue, Editor(s): Robert Donatelli, Sports-Specific Rehabilitation, Churchill Livingstone, 2007, Pages 87-95.

Silva, Bruno Araújo Rego Santos, Martinez, Flávia Gomes, Pacheco, Adriana Moré, & Pacheco, Ivan. (2006). Efeitos da fadiga muscular induzida por exercícios no tempo de reação muscular dos fibulares em indivíduos sadios. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, 12(2), 85-89

Medical News Today. What to know about muscle fatigue.

Sports Dietitians Australia. Fighting Fatigue.

 

LEIA MAIS