Fases do Luto

Fases do luto: como lidar com elas

por Equipe Danone Nutricia 24 de novembro de 2021 5 minutos

O luto é um processo natural composto por cinco fases: negação, raiva, barganha, depressão e aceitação

Perder alguém que amamos é uma sensação única e particular. O sentimento pode ser avassalador e parecer permanente, mas o luto em geral ocorre em estágios e, no final, o que resta é a saudade. 

O luto é uma resposta normal à perda de pessoas importantes para nós, mas também a mudanças drásticas de vida ou na rotina. Divórcio ou falência, por exemplo, também podem provocá-lo. Como explica a Associação Americana de Psicologia, o choque e a confusão de passar por problemas intensos pode levar a períodos prolongados de tristeza ou depressão. 

 

Sabia que o luto é importante?

A tristeza normalmente diminui de intensidade com o passar do tempo, mas o luto é um processo importante para superar sentimentos difíceis e guardar na memória, de forma saudável e carinhosa, o tempo ao lado da pessoa amada. 

É importante não tentar controlar o processo do luto. Por outro lado, entender seus estágios como parte de um processo natural pode ajudar a lidar com ele e a superá-lo.

 

Os estágios do luto

De acordo com publicação do Sistema Único de Saúde e da Escola Paulista de Medicina da Unifesp, o luto pode gerar sentimentos como tristeza, raiva, culpa, ansiedade, solidão, fadiga, desamparo, choque, anseio, estarrecimento e até mesmo alívio. Mudanças de comportamento, como distúrbio do sono, falta de apetite e isolamento social também podem ocorrer. Por fim, sintomas físicos também podem se manifestar, como aperto no peito, nó na garganta, falta de energia, fraqueza muscular e boca seca. 

Esses sentimentos podem se manifestar ao longo de todo o processo, mas o luto geralmente ocorre em cinco estágios:

 

1 - Negação

Não é incomum responder a sentimentos intensos e muitas vezes repentinos fingindo que nada está acontecendo. A negação nos dá tempo para absorver mais gradualmente o ocorrido e processá-lo. Esse é um mecanismo de defesa que anestesia em um primeiro momento. Porém, conforme esse estágio passa, as emoções antes escondidas começam a se manifestar.

 

2 - Raiva

Enquanto a negação pode ser considerada um mecanismo de enfrentamento, a raiva é um efeito de mascaramento da realidade. Ela esconde as emoções e dores que estão no fundo do peito, e pode ser redirecionada para outras pessoas, como um familiar, amigo querido ou à própria pessoa que morreu. 

A raiva também pode se manifestar como amargura ou ressentimento. À medida que a raiva diminui, os pensamentos ficam mais claros e racionais e outros sentimentos vêm à tona.

 

3 - Barganha

Durante o luto, é comum se sentir vulnerável ou desamparado. Nesse momento de emoções intensas, é normal procurar maneiras de recuperar o controle ou sentir que é possível afetar o resultado de um evento. Nesse estágio, também conhecido como “negociação”, pessoas religiosas podem fazer acordos ou promessas em troca de cura ou alívio da tristeza e da dor, por exemplo. Barganhar é uma linha de defesa que ajuda a adiar a tristeza, confusão ou mágoa. 

 

4 - Depressão

Nos estágios iniciais do luto, é comum fugir das emoções. Já no momento da depressão, o momento de tristeza é assumido. Pode se manifestar por meio do isolamento do convívio social, falta de energia, peso no coração e confusão. Consultar um psicólogo, profissional ou qualquer outra pessoa que possa trazer um pouco de alívio pode ser importante para lidar com esse estágio.

 

5 - Aceitação

A aceitação não é necessariamente um estágio feliz ou edificante do luto. Também não significa que a dor ou a perda estão totalmente superadas. No entanto, significa o entendimento sobre o que aconteceu. Nesse estágio, podem existir pouco ânimo e muita dor, assim como dias melhores. Aos pouquinhos, os dias melhores vão ficando mais frequentes.

 

Como lidar com o luto 

O processo de luto pode durar um mês ou um ano, não há regras. Algumas estratégias podem ajudar a lutar com ele, segundo a Associação Americana de Sociologia:

  • Falar sobre a perda com amigos ou colegas, para ajudar a entender o que aconteceu e a relembrar aquela pessoa especial. Evitar falar sobre isso pode levar ao isolamento e, muitas vezes, prejudicar o processo de cura. Aceitar os sentimentos, inclusive emoções como tristeza, raiva e até cansaço, é um primeiro passo para lidar com eles.
  • Conversar com um psicólogo ou outro profissional de saúde mental pode ser útil para ajudar a lidar com os sentimentos e questões que podem emergir após a perda.
  • Cuidar de si mesmo é fundamental, o que inclui comer alimentos saudáveis, fazer exercícios e dormir bastante. O processo de luto pode afetar o corpo e a saúde, então o autocuidado é importante. 
  • Passar tempo com outras pessoas que conheciam o ente querido para relembrá-lo, compartilhar experiências e histórias. Esse processo de ajuda mútua pode ser saudável e fazer bem para todos. 
  • Algumas atitudes podem ajudar a dar significado, como doar os pertences para uma instituição de caridade ou plantar uma árvore em memória. 

 

Referências:

Centers for Disease Control and Prevention. Grief and Loss. Disponível em: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/daily-life-coping/stress-coping/grief-loss.html

Mayo Clinic. What is grief? Disponível em: https://www.mayoclinic.org/patient-visitor-guide/support-groups/what-is-grief

American Psychological Association. Grief: coping with the loss of your loved one. Disponível em: https://www.apa.org/topics/families/grief

Harvard Business Review. That discomfort you are feeling is grief. Disponível em: https://hbr.org/2020/03/that-discomfort-youre-feeling-is-grief

 

LEIA MAIS