Síndrome de Burnout: sintomas, diagnóstico e tratamento

por Equipe Danone Nutricia 14 de dezembro de 2020

A síndrome de burnout é caracterizada pelos sentimentos de exaustão e incapacidade diante do trabalho

Ficar cansado após uma semana intensa de trabalho não costuma ser preocupante. Mas é preciso ficar atento aos sinais que o corpo dá, pois exaustão e estresse em excesso podem indicar a síndrome de burnout. Esse estado de esgotamento pode ser bastante prejudicial à saúde emocional e vir acompanhado de sensação de incapacidade para lidar com as tarefas profissionais.

A síndrome de burnout é classificada como um fenômeno ocupacional pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Ou seja, não é uma doença, mas um dos fatores que influenciam o estado de saúde de uma pessoa, ou a levam a procurar serviços de atendimento.

Para o Ministério da Saúde, a síndrome de burnout é um distúrbio emocional provocado justamente pelo excesso de trabalho -- principalmente o trabalho não satisfatório, desgastante, muito competitivo ou que demande grandes níveis de responsabilidade.

Síndrome de burnout: como identificar?

A síndrome de burnout costuma ter três principais características: exaustão, menor identificação com o trabalho e sensação da redução da capacidade profissional. Em outras palavras, se você está se sentindo exausto, incapaz e odeia o que faz, alerta vermelho: pode ser preciso procurar ajuda.

O Ministério da Saúde lista os principais sintomas da síndrome de burnout:

  • Cansaço excessivo, físico e mental;

  • Dor de cabeça frequente;

  • Alterações no apetite;

  • Insônia;

  • Dificuldades de concentração;

  • Sentimentos de fracasso e insegurança;

  • Negatividade constante;

  • Sentimentos de derrota e desesperança;

  • Sentimentos de incompetência;

  • Alterações repentinas de humor;

  • Isolamento;

  • Fadiga;

  • Pressão alta;

  • Dores musculares;

  • Problemas gastrointestinais;

  • Alteração nos batimentos cardíacos.

O estresse que provoca a síndrome pode estar diretamente relacionado ao seu trabalho, mas outros traços de personalidade ou estilo de vida podem contribuir. Perfeccionismo e pessimismo, por exemplo, podem agravar o quadro. Além disso, a maioria das pessoas no Brasil passa a maior parte do tempo trabalhando. Se esse é o seu caso e, ainda por cima, você não gosta do que faz, seu trabalho pode acabar custando muito caro para a sua saúde.

Síndrome de burnout ou depressão: como diagnosticar?

Alguns sintomas da síndrome de burnout também podem indicar depressão, como exaustão, desânimo e baixa produtividade. Por isso, o diagnóstico pode ser complicado. 

Para diagnosticar a síndrome de burnout, o profissional de saúde, que pode ser um terapeuta ou psiquiatra, geralmente identifica os três principais sintomas (exaustão, menor identificação com o trabalho e sensação da redução de capacidade profissional) e procura saber se estão relacionados ao trabalho.

Na depressão, pensamentos e sentimentos negativos costumam estar ligados a todos os âmbitos da vida. Portanto, a fonte principal do desconforto não provém do trabalho Baixa autoestima, desesperança e tendências suicidas também podem se manifestar. Muitas vezes, o quadro depressivo pode, inclusive, ser inicialmente provocado pela síndrome de burnout. 

Síndrome de burnout: como tratar

A síndrome de burnout costuma ser tratada com terapia e, dependendo da gravidade e natureza dos sintomas, com medicamentos como antidepressivos e ansiolíticos. Além disso, o profissional de saúde pode sugerir mudanças no estilo de vida, além de exercícios de relaxamento que ajudem a aliviar o estresse do trabalho. 

Tirar férias ou mudar de trabalho também pode ajudar. O importante, em todo caso, é procurar apoio profissional para evitar que a síndrome de burnout continue prejudicando o seu bem-estar ou que evolua para outras condições de saúde mental.

 

Referências:

Ministério da Saúde. Síndrome de burnout: o que é, quais as causas, sintomas e como tratar

World Health Organization. Burn-out an "occupational phenomenon": International Classification of Diseases.[Text Wrapping Break][Text Wrapping Break]InformedHealth.org [homepage na Internet]. Depression: What is burnout? Cologne, Germany: Institute for Quality and Efficiency in Health Care (IQWiG); 2006. Disponível em:[Text Wrapping Break]https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK279286/

Organização das Nações Unidas. Síndrome de burnout é detalhada em classificação internacional da OMS

Wekenborg MK, Von dawans B, Hill LK, Thayer JF, Penz M, Kirschbaum C. Examining reactivity patterns in burnout and other indicators of chronic stress. Psychoneuroendocrinology. 2019;106:195-205 J. Disponível em:[Text Wrapping Break]https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S0306453018311569

Maslach C, Leiter MP. Understanding the burnout experience: recent research and its implications for psychiatry. World Psychiatry. 2016;15(2):103–111. Disponível em:[Text Wrapping Break]https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1002/wps.20311

 

LEIA MAIS