Estou fazendo diálise: quanta proteína devo consumir?

por Equipe Danone Nutricia 04 de fevereiro de 2021 5 minutes

A diálise provoca a perda de proteínas, então o consumo deve ser aumentado de forma controlada, para evitar o excesso de fósforo e potássio no organismo

A nutrição adequada do paciente em diálise proporciona melhor qualidade de vida e redução dos sintomas. Durante o tratamento, atenção especial deve ser dada ao consumo de proteínas, já que as sessões de diálise provocam uma perda significativa do nutriente.

diálise: para que serve?

Durante a diálise, um procedimento feito por pacientes com insuficiência renal aguda ou crônica grave, uma máquina limpa e filtra o sangue. Ou seja, faz o papel que o rim doente não pode fazer. Assim, elimina os resíduos prejudiciais à saúde do corpo, como excesso de sal e líquidos, além de ajudar a controlar a pressão arterial e a manter o equilíbrio de substâncias como sódio e potássio. 

A insuficiência renal, quando os rins perdem a capacidade de fazer seu trabalho, pode ser provocada por diferentes doenças, como diabetes mellitus e hipertensão, além do uso de certos medicamentos e drogas. 

A condição apresenta sintomas como dificuldades de concentração, apetite reduzido, insônia, cãibras durante a noite, inchaço dos pés e tornozelos, pele seca e irritada e vontade frequente de urinar. Em estados avançados, ameaça a vida. 

A perda da função renal superior a 85% ou 90% leva ao aumento de toxinas e água no organismo, excedendo o que pode suportar. Então, é preciso dar início ao processo de diálise. 

Quando consultar o médico

Ainda que o enjoo na gravidez seja comum, em alguns casos a situação pode ser grave e consultar o médico é sempre importante. A hipemerese gravídica afeta uma em cada mil mulheres grávidas e inclui vômitos constantes, perda de peso, desidratação e pode ser muito séria. O tratamento envolve administração de líquidos intravenosos, cuidados com a nutrição e possível hospitalização.

Algumas mulheres também se preocupam com a possibilidade de o enjoo matinal afetar o bebê. Vômitos repetitivos podem esticar os músculos abdominais e causar dores localizadas, mas a mecânica física do vômito não prejudica o feto. Ele fica perfeitamente protegido e “almofadado” dentro do saco de líquido amniótico.

o consumo de proteína para pacientes de diálise

As proteínas desempenham papel importante no nosso corpo, especialmente as de alta qualidade. São fontes de aminoácidos que mantêm a saúde dos ossos, tecidos, células e órgãos. Também participam na manutenção de massa muscular, no funcionamento do sistema imunológico e contribuem como fonte de energia

Na verdade, praticamente todas as funções celulares necessitam de proteína. Portanto, o seu consumo deve ser diário

Pessoas que fazem diálise precisam ter ainda mais empenho com o consumo de proteínas. Como o próprio processo da diálise provoca a perda de proteínas, é preciso aumentar o consumo do nutriente na dieta. Segundo o Ministério da Saúde, a quantidade adequada a ser consumida é cerca de 1,2 g/kg por dia para quem está em diálise, sempre sob recomendação médica. 

Ao mesmo tempo, é preciso ficar alerta com os níveis de fósforo e potássio. Ao contrário da proteína, eles podem ficar elevados nos pacientes com insuficiência renal.

O excesso de fósforo no organismo pode provocar arritmia, enquanto o de potássio prejudica ainda mais a função dos rins. 

Por isso, quando se faz diálise, é preciso ter uma alimentação muito balanceada para garantir que tanto os níveis de proteínas quanto os de fósforo e potássio estejam controlados.

como consumir proteína durante a DIÁLISE

Ovos, carne bovina, de porco e de frango, assim como grãos como feijão, ervilha, lentilha, grão-de-bico e soja são fontes de proteínas que não têm muito fósforo. Por outro lado, queijos e oleaginosas como amendoim, castanha e nozes têm mais fósforo. Por isso, o seu consumo deve ser feito com moderação, conforme o recomendado pelo médico e/ou nutricionista. 

Outra possibilidade é fazer o uso de suplementos proteicos com formulação de nutrientes específicos para pacientes em diálise. Tais suplementos fornecem as quantidades adequadas de proteínas e contêm baixo teor de potássio, sódio e fósforo. 

Para evitar a desnutrição pela perda de proteínas e dar energia, os suplementos costumam fazer parte da intervenção nutricional do paciente em diálise. Consulte sempre o médico e/ou nutricionista. 

 

Referências:

Sociedade Brasileira de Nefrologia. Orientações Nutricionais. Disponível em: 
https://www.sbn.org.br/orientacoes-e-tratamentos/orientacoes-nutricionais/

Biblioteca Virtual em Saúde - Atenção Primária em Saúde. Qual o tratamento nutricional indicado para pessoas com insuficiência renal crônica? Disponível em: 
https://aps.bvs.br/aps/qual-o-tratamento-nutricional-indicado-para-pessoas-com-insuficiencia-renal-cronica/

Sociedade Portuguesa de Nefrologia e Associação Portuguesa dos Nutricionistas. Manual de Nutrição e Doença Renal. Março, 2017. Disponível em: 
https://www.apn.org.pt/documentos/manuais/Manual_doenca_renal.pdf

Secretaria de Saúde do Distrito Federal. Orientações Nutricionais para Pacientes com Doença Renal Crônica em Hemodiálise. Disponível em: 
http://www.saude.df.gov.br/wp-conteudo/uploads/2017/10/EBOOK-DE-ORIENTAC%CC%A7O%CC%83ES-NUTRICIONAIS-1.pdf-1.pdf-1.pdf-1.pdf

Ministério da Saúde. Insuficiência Renal Crônica. Disponível em: 
https://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/2083-insuficiencia-renal-cronica#:~:text=Insufici%C3%AAncia%20renal%20%C3%A9%20a%20condi%C3%A7%C3%A3o,%C3%A9%20lenta%2C%20progressiva%20e%20irrevers%C3%ADvel.

LEIA MAIS