Emagrecer e perder peso: qual é a diferença?

por Equipe Danone Nutricia 05 de novembro de 2020 5 minutes

Emagrecer significa reduzir a quantidade de gordura no corpo, enquanto a perda de peso está relacionada à redução do montante do valor numérico da massa corporal

Se a balança continua marcando o mesmo peso desde que você começou a praticar exercícios físicos com frequência e a se alimentar melhor, não entre em pânico. Pode ser que tenha emagrecido sem ter perdido peso. 

Parece confuso, mas o princípio é simples: você pode emagrecer ao reduzir a quantidade de gordura no corpo, enquanto mantém o peso ao ganhar massa muscular. Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, perder peso significa reduzir o montante do valor numérico da massa corporal total. Portanto se você pesava 56kg, e agora pesa 52k, perdeu peso. 

Por outro lado, emagrecer significa reduzir o percentual de gordura do corpo. Entenda:

gordura x massa magra

O corpo humano é formado por três tipos de tecidos:

  • Massa de gordura;

  • Massa livre de gordura: massa muscular, massa óssea (ossos), cartilagens, ligamentos e tendões;

  • Fluidos extracelulares e intracelulares.

    A massa livre de gordura e os fluidos compõem a massa magra, ou seja, o conjunto de músculos, órgãos vitais, ossos e líquidos corporais. Portanto, tudo o que compõe o seu organismo, com exceção da massa de gordura. 

De acordo com a Associação Brasileira de Nutrição (Asbran), as células de gordura ficam localizadas sob a pele e entre as vísceras, e são formadas principalmente por triglicerídeos. Elas têm capacidade de armazenamento, ou seja, quando uma pessoa consome mais do que gasta, a célula cresce até seu limite e depois se multiplica, causando o ganho de peso. 

O excesso de gordura no corpo pode causar problemas nas artérias e no cérebro, além de causar um “estresse” metabólico nas células, que ficam desorganizadas. Por isso, segundo a Asbran, a gordura deixa de ser depositada apenas nas células adiposas e começa a se instalar também em órgãos com o fígado e o pâncreas.

Gordura em excesso está, ainda, associada a doenças como diabetes e obesidade. A obesidade, por sua vez, é um fator de risco para doenças cardiovasculares (problemas cardíacos, acidentes vasculares cerebrais), aumento do colesterol e triglicérides, distúrbios músculo-esqueléticos e alguns tipos de câncer.

A massa magra, por outro lado, é fundamental para a saúde dos ossos e músculos, incluindo o coração. Também é importante quando o corpo fica doente e o sistema imunológico entra em ação, requerendo proteínas para combater a doença e se recuperar. 

Com o avanço da idade, começamos a perder massa magra. A perda de massa muscular e óssea com o avanço da idade, quando não tratada, pode prejudicar a independência e causar prejuízos, como a sarcopenia (enfraquecimento dos músculos) e a osteoporose. 

Quando consultar o médico

Para reduzir a quantidade de gordura no corpo, é preciso praticar exercícios e adotar uma alimentação adequada. Quem reduz o peso sem fazer exercício perde massa muscular e mantém o tecido adiposo, onde a gordura corporal está localizada. 

Além disso, a massa muscular apresenta maior densidade do que a gordura. Por isso, ocupa menos espaço no corpo. Assim, uma pessoa pode reduzir a sua massa de gordura e mesmo assim não notar mudança de peso quando sobe na balança, já que o ganho de massa muscular mascara a perda dos quilos em excesso.

Portanto, se você adotou uma rotina de dieta e exercícios com o objetivo de ganhar massa magra e perder gordura, acompanhar a evolução do seu emagrecimento apenas pela balança pode não ser o mais indicado. Pode ser que você esteja mais saudável e visivelmente mais magro, mas ainda pesar o mesmo.

Consulte o médico ou nutricionista para bolar um plano de emagrecimento que esteja de acordo com as suas necessidades e objetivos.

 

Referências:

Sociedade Brasileira de Cirurgia Metabólica. Emagrecer e perder peso.

Associação Brasileira de Nutrição. Excesso de gordura prejudica o cérebro e pode provocar doenças

World Health Organization. Obesity and overweight.

Matsudo, Sandra Mahecha, Victor Keihan Rodrigues Matsudo, and Turíbio Leite Barros Neto. "Impacto do envelhecimento nas variáveis antropométricas, neuromotoras e metabólicas da aptidão física." Revista brasileira de ciência e movimento 8.4 (2000): 21-32.

Prado, Ralfe Aparício do, et al. "A influência dos exercícios resistidos no equilíbrio, mobilidade funcional e na qualidade de vida de idosas." O mundo da saúde 34.2 (2010): 183-191

 

 

LEIA MAIS