Cinco hormônios que afetam o emagrecimento

por Equipe Danone Nutricia 05 de fevereiro de 2021 5 minutes

Hormônios da tireóide, grelina, leptina, cortisol e hormônios sexuais atuam na manutenção do peso

Engordar e emagrecer são processos do organismo que não dependem exclusivamente da alimentação. Os hormônios também têm papel importante. Enquanto a grelina faz sentir fome, altos níveis de T3 e 74 aceleram o metabolismo e podem ajudar a perder peso, por exemplo. 

Hormônios são mensageiros químicos que regulam os diferentes processos em nosso corpo, como apetite, metabolismo e distribuição de gordura corporal. Eles são secretados na corrente sanguínea pelo sistema endócrino e sua produção depende de vários fatores, como herança genética, funcionamento do organismo, ciclo circadiano, eventuais condições de saúde e nossos hábitos, como prática de atividades físicas e qualidade do sono. 

O nível de certos hormônios também varia conforme envelhecemos, o que também pode provocar ganho de peso ao longo dos anos. 

Veja, abaixo, quais são os hormônios que afetam o ganho e perda de peso:

hormônios da tireóide

A tireóide é uma glândula localizada no pescoço que libera hormônios com diversos efeitos, como a frequência cardíaca, a temperatura corporal e a taxa metabólica, ou seja, a taxa na qual você queima calorias.  Os dois principais hormônios tireoidianos são o T4 (tiroxina) e o T3 (triiodotironina).

Pessoas que têm hipertireoidismo secretam muito hormônio, o que provoca altos níveis de energia, aceleração dos batimentos cardíacos, dificuldades para dormir e, também, perda de peso acelerada. Por outro lado, quem tem hipotireoidismo secreta pouco hormônio, o que reduz a taxa metabólica e leva ao ganho de peso, entre outros sintomas como desaceleração dos batimentos cardíacos, cansaço e sonolência.

grelina

A grelina é considerada o “hormônio da fome”, pois sua principal função é estimular o apetite. Produzida nas células do estômago, é ela quem avisa ao cérebro quando é hora de comer, geralmente quando estamos de barriga vazia. 

Portanto, quando fazemos uma dieta restritiva, os níveis de grelina podem aumentar e nos fazer sentir mais fome. Na verdade, o segredo para manter os níveis do hormônio é o equilíbrio: não comer demais, nem de menos. Além disso, consumir mais proteínas, que dão sensação de saciedade, ajuda a manter níveis adequados de grelina no corpo.

leptina

A leptina funciona de forma inversa à grelina: reduz o apetite. Como o hormônio é produzido pelas células de gordura, pessoas obesas costumam ter níveis mais altos. Porém, são menos sensíveis aos seus efeitos e, portanto, não se sentem tão saciadas após a refeição quanto as mais magras. 

Assim, quanto mais peso você perde, maior é o efeito da leptina, o que também aumenta a sensação de saciedade. Portanto, a leptina age melhor no organismo quando adotamos uma dieta balanceada e comemos dentro do necessário.

cortisol

Conhecido como o “hormônio do estresse”, o cortisol é produzido pelas glândulas supra renais, nos rins, e costuma subir quando estamos muito estressados. Pesquisas exploram a possibilidade de tal hormônio provocar o acúmulo de gordura visceral, já que pessoas com altos níveis de cortisol também costumam acumular gordura na região da cintura.

Porém, ainda não há pesquisas conclusivas para comprovar as evidências. No entanto, pesquisadores também acreditam que o estresse, relacionado ao aumento de cortisol, leva a comer mais, o que por sua vez provoca ganho de peso. Assim, gerenciar o estresse é importante para manter um peso adequado. Prática de atividades físicas, meditação e yoga podem ajudar.

hormônios sexuais

Os hormônios sexuais afetam o acúmulo e distribuição de gordura no corpo. O estrogênio, hormônio sexual feminino, determina que a gordura seja distribuída para quadris e coxas. Por isso, quando seus níveis caem, principalmente durante a menopausa, mulheres costumam acumular menos gordura nessas regiões e mais na área da cintura. 

Em excesso, a gordura visceral pode aumentar o risco de doenças cardíacas e diabetes tipo 2. Por isso, mulheres mais velhas precisam cuidar da forma.

Já a testosterona, hormônio sexual masculino, estimula a formação de massa muscular e reduz os níveis de gordura corporal. A partir dos 20 ou 30 anos de idade, os níveis desse hormônio começam a cair aos poucos. Por isso, homens mais velhos também preciso prestar atenção redobrada à manutenção do peso.

 

 

Referências: 

 

AARP. Are Hormones Causing Weight Gain? Disponível em:

https://www.aarp.org/health/conditions-treatments/info-2020/hormones-and-weight-loss.html

 

Better Health Channel - Victoria State Government. Obesity and Hormones. Disponível em:

https://www.betterhealth.vic.gov.au/health/healthyliving/obesity-and-hormones#:~:text=The%20hormones%20leptin%2C%20insulin%2C%20oestrogens,is%20preventable%20with%20weight%20loss

 

Healthline. Ghrelin: The “Hunger Hormone Explained”. Disponível em:

https://www.healthline.com/nutrition/ghrelin#TOC_TITLE_HDR_2

LEIA MAIS