Insuficiência respiratória: causas e tratamentos da falta de ar que pode ser grave

por Equipe Danone Nutricia 09 de novembro de 2020 5 minutes

A insuficiência respiratória surge como consequência de um desequilíbrio entre os níveis de oxigênio e gás carbônico no sangue

A insuficiência respiratória ocorre quando o corpo tem dificuldades para realizar as trocas gasosas normais, necessárias para manter o corpo funcionando. Quando respiramos, o corpo absorve oxigênio e elimina gás carbônico. Um desequilíbrio nesse processo pode gerar sintomas como falta de ar, cansaço e cor azulada nos dedos.

O oxigênio chega até os pulmões pela inspiração. Em seguida, o sangue oxigenado viaja até o lado esquerdo do coração, responsável por bombeá-lo para o resto do corpo. Depois que circula por todo o organismo, o sangue está pobre em oxigênio e rico em gás carbônico. Ele volta ao coração e é bombeado até os pulmões, que liberam o dióxido de carbono pela expiração.

A insuficiência respiratória se manifesta quando os pulmões têm dificuldades para oxigenar adequadamente o sangue, ou quando não conseguem eliminar o excesso de dióxido de carbono. Em alguns casos, os dois problemas podem ocorrer.

As causas da insuficiência respiratória

Qualquer doença que afeta diretamente o pulmão pode causar insuficiência respiratória, como pneumonia, asma, embolia pulmonar e a COVID-19. Alterações nos nervos dos músculos respiratórios, como distrofias musculares, ou dos ossos que circundam os pulmões, também podem prejudicar a respiração e provocar a insuficiência.

Além disso, fatores externos podem provocar a condição, como acidentes que prejudiquem os pulmões, o uso de drogas e a inalação de fumaça ou outros agentes que causem irritação.

Sintomas da insuficiência respiratória

Os principais sintomas da insuficiência respiratória são:

  • Falta de ar;
  • Respiração curta e rápida;

  • Peles, lábios e unhas de coloração azulada;

  • Confusão mental;

  • Cansaço excessivo;

  • Sonolência;

  • Batimentos cardíacos irregulares (arritmia).

    Os sintomas podem surgir lentamente ou de forma intensa, de uma hora para a outra. Neste caso, a condição geralmente é provocada por acidentes de trânsitos, overdoses causadas pelo uso de drogas ou derrames, por exemplo.

O diagnóstico da insuficiência respiratória geralmente é feito pelo pneumologista, clínico geral ou pelo médico que atender o paciente quando chegar na emergência.

Como tratar a insuficiência respiratória

Quando surgem os sinais da falta de ar, é preciso ir diretamente para o hospital. A insuficiência respiratória pode ser curada quando o tratamento é iniciado o quanto antes. Para isso, o paciente será estabilizado e irá receber oxigênio por meio de uma máscara. Os sinais vitais, como frequência cardíaca, serão monitorados até que esteja fora de perigo. Dependendo das causas, outros tratamentos específicos poderão ser ministrados.

Em pacientes crônicos, ou sejam, que convivem com a condição por longos períodos, deve-se tratar a doença de base, evitando os sintomas da insuficiência respiratória.

 

 

Referências:

Manual MSD. Insuficiência respiratória.

Pádua AI; Alvares F, Martinez JAB. Insuficiência respiratória. Medicina, Ribeirão Preto, 36: 205-213, abr./dez. 2003. Disponível em: http://revista.fmrp.usp.br/2003/36n2e4/7_insuficiencia_respiratoria.pdf 

 

LEIA MAIS