Insulina: o que é, tipos e como aplicar

por Equipe Danone Nutricia 15 de dezembro de 2020 5 minutes

A insulina artificial é utilizada para tratamento da diabetes, condição caracterizada pelo excesso de glicose no sangue

A insulina é um hormônio produzido naturalmente pelo corpo que transforma a glicose, obtido pela alimentação, em energia. Quando essa produção está desregulada ou para de ocorrer, pode ser diabetes.

insulina e o açúcar no sangue

A insulina é produzida pelo pâncreas e funciona como uma “chave”, abrindo a células do corpo para que a glicose, proveniente do açúcar, entre e seja usada para gerar energia. Assim, a insulina também controla os níveis de glicose no sangue, que em excesso pode ser prejudicial, e está envolvida no armazenamento de gordura.

A diabetes é caracterizada justamente pelos altos níveis de glicose no sangue. Pessoas diabéticas precisam tomar uma série de medidas para controlá-lo, como tomar injeções diárias de insulina artificial. Quando não controlada, a doença pode causar danos nos rins, nervos, visão, audição e no sistema cardiovascular. Ataques cardíacos, insuficiência renal e amputamento de membros são algumas das consequências mais graves e extremas.

No Brasil, 90% dos casos de diabetes é do tipo 2. A doença é autoimune, tem causas genéticas e ocorre quando o pâncreas pára de produzir insulina indefinitivamente. Dependendo da gravidade, a doença pode ser controlada com alimentação balanceada e exercícios físicos, mas o uso de insulina e medicamentos para controlar os níveis de glicose pode ser necessários. Já no caso da diabetes tipo 1, mais rara,  as injeções diárias de insulina são necessárias sempre.

a insulina artificial

Existem diversos tipos de insulina, que variam de acordo com o tempo de ação no organismo. Para escolher a mais adequada, o médico irá analisar como o pâncreas da pessoa controla a glicose. A escolhida será aquela que tem ação mais parecida com a do órgão.

Os principais tipos de insulina utilizados pelas pessoas que têm diabetes são:

Insulina de ação ultra-rápida

O efeito acontece poucos minutos após a aplicação. O pico ocorre 30 a 60 minutos depois e sua ação dura de três a cinco horas. Deve ser injetada imediatamente antes das refeições ou logo após, dependendo do tipo do medicamento. 

Este tipo de insulina tem a aparência límpida e, como sua duração é mais curta, deixa a corrente sanguínea rapidamente, minimizando o risco de hipoglicemia (baixa concentração de glicose no sangue) nos períodos de jejum, entre as refeições. 

Insulina de ação rápida

A ação tem início por volta de 30 minutos após a aplicação, enquanto o pico ocorre de duas a três horas depois. Sua duração é de três a seis horas. Deve ser injetada de 30 a 45 minutos após as refeições e, assim como a insulina de ação ultra-rápida, tem aparência límpida.

Insulina de ação intermediária

A insulina de ação intermediária leva de duas a quatro horas para começar a agir. O pico ocorre de quatro a 12 horas depois da aplicação e o tempo de duração é 12 a 18 horas. Geralmente, deve ser aplicada uma vez ao dia, antes de dormir. Tem aspecto turvo.

Insulina de ação lenta

O início da ação começa uma hora após a aplicação, mas o pico ocorre apenas de seis a 12 horas depois. Geralmente, a ação se prolonga o dia todo. Costuma ser aplicada uma vez ao dia, também antes de dormir, e tem aparência límpida.

como tomar insulina

Como a insulina deve ser aplicada diariamente pelos diabéticos, é preciso aprender a fazer isso por conta própria. Dependendo das características específicas da doença e do funcionamento do pâncreas, o médico irá recomendar o tipo de insulina, quando e como aplicá-la.

A insulina não pode ser consumida por via oral, em pílulas ou cápsulas, pois os sucos digestivos presentes no estômago interferem na sua eficácia. Assim, há duas formas de utilizá-las: em frascos e canetas.

A insulina contida em frascos deve ser aplicada no corpo com uma seringa ou agulha, geralmente na barriga. Se não for possível aplicar na região do abdômen, deve-se usar os braços, coxas ou nádegas. As canetas de insulina funcionam de forma similar. Basta inseri-las no corpo e girar um botão para aplicar a quantidade adequada, que é exibida no visor.

Existem, também, as bombas de insulina, aparelhos eletrônicos ligados ao corpo por um cateter na região do abdômen, braço ou coxa. Ela deve ser substituída a cada dois ou três dias. 

Ao compreender como a insulina funciona no corpo, é possível planejar refeições, lanches e exercícios. O importante é que o tratamento se ajuste tanto às necessidades de controle de glicose, quanto ao estilo de vida, permitindo uma rotina normal. 

 

Referências: 

Sociedade Brasileira de Diabetes. Insulina.

Web Medical Team. The facts about insulin for diabetes.

Diabetes Community. Insulin.

Ministério da Saúde. Diabetes mellitus.

BD. Tipos de insulina.

BD. O que é insulina e tipos de insulina.

LEIA MAIS