Por que bactérias se tornam resistentes a antibióticos

por Equipe Danone Nutricia 6 de janeiro de 2021 5 minutes

O uso incorreto de antibióticos é um dos fatores que torna as bactérias mais resistentes aos medicamentos

As bactérias são extremamente adaptáveis e podem sofrer mutações genéticas. Quando causam infecções, podem ser combatidas com antibióticos. Mas, se o uso de tais medicamentos é feito de forma incorreta, tais microrganismos podem se tornar resistentes e, no futuro, será muito mais difícil combatê-las.

Os antibióticos são substâncias capazes de eliminar ou impedir a multiplicação de bactérias, organismos vivos unicelulares que podem sobreviver e se multiplicar dentro ou fora do organismo. As bactérias podem ser benéficas, participando da flora intestinal, da imunidade e de diversas outras funções, ou prejudiciais, causando condições como infecções urinárias, intoxicações alimentares, tuberculose e até tétano.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), a resistência aos antibióticos é uma das maiores ameaças à saúde global e à segurança alimentar.

Todos os anos, cerca de 700.000 pessoas morrem de infecções causadas por bactérias resistentes aos medicamentos disponíveis e a previsão é que esse número cresça gradualmente nos próximos anos

Infecções como pneumonia, tuberculose e gonorréia estão se tornando mais difíceis de tratar, o que provoca hospitalizações mais longas, maiores custos médicos e aumento da mortalidade.

Ainda que a resistência a antibióticos ocorra naturalmente, o uso indevido desses medicamentos está acelerando o processo.

como as bactérias se tornam resistentes aos antibióticos

Segundo o Ministério da Saúde, interromper o uso do antibiótico antes do tempo recomendado pode tornar as bactérias resistentes ao medicamento. Muita gente para de tomá-lo assim que os sintomas, como dor e febre, desaparecem. Porém, se o paciente suspende o uso neste momento, apenas as bactérias mais fracas são eliminadas.

As bactérias mais fortes, por outro lado, continuam vivas e começam a se multiplicar novamente, provocando o reaparecimento dos sintomas. Como as novas bactérias são descendentes daquelas mais resistentes, é provável que o mesmo medicamento não seja mais eficiente para curar a infecção.

Além disso, o uso indiscriminado e repetido de antibióticos faz com que muitas se tornem resistentes ao tratamento. Como não são combatidas pelo remédio, transmitem a imunidade para suas bactérias descendentes, provocando colônias de germes geneticamente modificados e resistentes.

As bactérias possuem diversas estratégias de defesa que as permitem adquirir resistência aos antibióticos. Muitos medicamentos destroem apenas partes específicas dos microrganismos que, então, podem sofrer mutações e adicionar mais componentes em suas estruturas. Assim, o antibiótico não pode mais se encaixar e fazer seu trabalho, combatendo a infecção.

As bactérias com grande capacidade de adaptação, chamadas de superbactérias, desenvolvem mecanismos de resistência até mesmo contra os antibióticos de última geração. Isso reduz muito as possibilidades de tratamento.

como usar antibióticos da forma correta

Nunca use antibióticos sem a indicação de um profissional de saúde, como médico ou dentista. Siga à risca as orientações de uso, como a dose prescrita, os horários corretos de tomada da dose e a duração do tratamento.

Se os sintomas tiverem melhorado, não pare o tratamento antes do prazo indicado do tratamento. Além disso, não use antibióticos fora do prazo de validade, pois podem não fazer efeito e causar resistência bacteriana.

Por fim, preste atenção ao armazenamento correto dos medicamentos. Guarde-os em locais que corresponda à temperatura indicada na bula. Evite guardar sobras de antibióticos em casa, pois a quantidade restante geralmente não é suficiente para um novo tratamento.

 

Referências:

Ministério da Saúde. Uso correto de antibióticos.

World Health Organization. Antibiotic resistance.

Centers for Disease Control and Prevention. How Antibiotic Resistance Happens.

LEIA MAIS