Por que a atividade física ajuda a preservar a memória

Por que a atividade física ajuda a preservar a memória

por Equipe Danone Baby 24 de fevereiro de 2020 5 minutes

Praticar exercícios cardiovasculares ou atividades como a yoga ajudam a prevenir ou melhorar a memória em idosos

Problemas de memória são uma das principais queixas entre idosos. Mas essa condição pode ser prevenida ou atenuada pela prática de atividades físicas, uma solução não farmacológica que pode ajudar a prolongar a qualidade de vida e a independência.

Exercitar-se ajuda a preservar a força muscular, mantém o coração forte, um peso corporal saudável e evita doenças crônicas, como a diabetes. Mas a atividade física também fortalece a mente, pois ajuda a aprimorar a memória e as habilidades de pensamento. O exercício atua diretamente no corpo, estimulando alterações fisiológicas e incentivando fatores de crescimento -- substâncias químicas que afetam o crescimento de novos vasos sanguíneos no cérebro. Também estimula a sobrevivência e a saúde geral de novas células cerebrais.

 

exercícios físicos em prol da memória

Recentemente, a relação entre a prática de exercícios físicos e a preservação e melhora do desempenho cognitivo vem sendo comprovada por meio de pesquisas. Estudos americanos mostraram que idosos que praticavam exercícios regularmente tiveram melhores resultados em testes de memória do que aqueles que não os realizavam. 

 

Posteriormente, conclusões também revelaram os efeitos positivos dos exercícios cardiovasculares na preservação da memória da população em Hong Kong. O estudo ainda relacionou atividades como meditação e yoga com a preservação da memória na população idosa. Os pesquisadores sugerem que o exercício, seja cardiovascular ou relacionado à integração mente e corpo, pode ajudar a preservar a capacidade de aprender, bem como a de reter informações recém aprendidas. 

Portanto, tanto a prática de exercícios físicos cardiovasculares quanto a de atividades como a yoga produzem efeitos semelhantes e positivos. O ideal é incluir ao menos um deles na rotina. Mas se puder fazer os dois, os resultados serão ainda melhores.

menos estresse e sono de qualidade

A memória também é suscetível às influências hormonais e neuro-hormonais. Os hormônios liberados por experiências emocionais e estressantes, como a endorfina, estão envolvidos na regulação da memória. Estudos têm demonstrado que a liberação deles é estimulada pelo exercício. Assim, existe uma relação entre o efeito do exercício na regulação da memória, especialmente os intensos e os moderados de longa duração.

O exercício também melhora o humor e o sono, reduzindo o estresse e a ansiedade, problemas que causam ou contribuem para o comprometimento cognitivo. Portanto, não perca tempo. Mantenha o seu corpo ativo e garanta um estímulo à saúde da sua memória. 

 

Referências: 

1 - Busse, Alexandre Leopold, et al. 'Efeitos dos exercícios resistidos no desempenho cognitivo de idosos com comprometimento da memória: resultados de um estudo controlado.' Einstein 6.4 (2008): 402-7.

2 - Chan, Agnes S., et al. 'Association Between Mind‐Body and Cardiovascular Exercises and Memory in Older Adults.' Journal of the American Geriatrics Society 53.10 (2005): 1754-1760.

3 - Alomari, Mahmoud A., et al. 'Forced and voluntary exercises equally improve spatial learning and memory and hippocampal BDNF levels.' Behavioural brain research 247 (2013): 34-39.

4 - Santos, Daniela Lopes dos, and Marisa Ely Milano. 'Exercício físico e memória.' Rev. paul. educ. fís 12.1 (1998): 95-106.

5 - Harvard Health Publishing - Harvard Medical School. Exercise can boost your memory and your thinking skills.

LEIA MAIS