Dificuldades alimentares que prejudicam a nutrição do idoso

por Equipe Danone Nutricia 08 de outubro de 2020 5 minutes

Perda de dentes, dificuldades para engolir e problemas emocionais são fatores que derrubam o apetite e prejudicam a alimentação do idoso

Idosos têm mais chances de apresentar desnutrição do que adultos mais jovens, tanto por questões emocionais, quanto por condições físicas. Conforme envelhece, o organismo sofre alterações que podem prejudicar a ingestão e digestão adequada de alimentos, exigindo mais atenção em relação à alimentação.

Comer bem ao longo do processo de envelhecimento pode atenuar ou prevenir muitas doenças recorrentes nesse período, como aumento da pressão arterial, intolerância à glicose, diabetes, osteoporose e doenças cardiovasculares. Portanto, a boa saúde depende da alimentação adequada.

Veja, abaixo, quais são as principais dificuldades que prejudicam a nutrição:

as dificuldades alimentares no envelhecimento

Dificuldades para mastigar

Dentes pouco firmes, dentaduras mal ajustadas, falta de dentes e menor quantidade de saliva podem tornar a mastigação bastante desconfortável. O idoso pode, ainda, apresentar a doença periodontal, típica da idade, que afeta as gengivas e ossos que suportam os dentes.

Dificuldades para engolir

Condições de saúde mais recorrentes na terceira idade podem provocar dificuldades para engolir, como doença de Parkinson, artrite, distúrbios musculares, acidente vascular cerebral que afeta a deglutição e certos tipos de câncer.

Além disso, idosos estão mais sujeitos a passar por procedimentos hospitalares, tratamentos e cirurgias, que também podem provocar dificuldades para engolir por períodos de tempo. Portanto, é importante um plano alimentar adequado para garantir que o paciente terá suas necessidades nutricionais atendidas.

Paladar e olfato reduzidos

A redução do paladar também tende a ocorrer com a idade, assim como a redução do olfato. Essa deterioração pode minar o apetite do idoso. Por isso, é preciso bolar novas formas de temperar a comida para dar mais cheiro e sabor, usando ervas como gengibre, cebolinha, salsa, coentro ou pimenta, por exemplo.

Boca seca

A redução da produção de saliva, também natural no envelhecimento, pode deixar a boca seca. Essa sensação desagradável prejudica o apetite e, por consequência, a alimentação adequada. Por isso, é importante assegurar uma ingestão regular de fluidos, como água e sucos integrais, e de frutas e legumes que contenham bastante água, como melancia e pepino.

Problemas de digestão Assim como a saliva, a produção de sucos digestivos é reduzida no envelhecimento, o que pode levar à má digestão e absorção de nutrientes. Geralmente, essas condições estão associadas a sintomas como náuseas e flatulência após as refeições. Fique de olhos nos sinais e procure um médico.

Fazer refeições pequenas e frequentes, mastigar lentamente e evitar a ingestão de alimentos com alto teor de gordura, assim como cafeína e álcool, são medidas que ajudam a digestão a ocorrer adequadamente. Caminhar logo após as refeições, também.

Pouco apetite

Diversos fatores físicos e psicológicos podem prejudicar o apetite do idoso, como o efeito colateral de medicamentos, mal-estar psicológico ou até mesmo depressão.

Para contornar a falta de apetite, é preciso tratar as condições físicas e psicológicas que o prejudicam.

Também é importante preparar pratos que agradam o paladar, mas que também são ricos em nutrientes. O médico ou nutricionista pode sugerir um plano adequado para as condições de cada paciente.

Comer faz bem e alegra. Não deixe esse prazer fundamental de lado!

 

Referências:

Elderly Health Service. Department of Health - The Government of the Hong Kong Special Administrative Region. Common Eating Problems in the Elderly. Nursing Times. Feeding problems in elderly patients.

Viana, AC; Fumagalli F. Desnutrição do idoso e saúde público no Brasil

LEIA MAIS