Como fazer amigos após os 60 anos

por Equipe Danone Nutricia 6 de janeiro de 2021 5 minutes

Conhecer os vizinhos, praticar esportes e fazer conexões pelas redes sociais são formas de manter a vida social agitada

Fazer amigos após os 60 nem sempre é fácil, principalmente durante a aposentadoria ou quando pessoas próximas também envelheceram ou já não estão entre nós. Porém, devido ao aumento da expectativa de vida da população, o ser humano está mais longevo e tem o direito de viver bem e feliz ao longo de suas últimas décadas.

Segundo um estudo feito em 2014 por uma pesquisadora da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, a falta de interação pode levar o idoso a ter uma visão negativa do envelhecimento, no sentido de que essa fase da vida traz apenas perdas, seja de pessoas, oportunidades ou até mesmo hábitos que tinha quando era mais jovem.

Por outro lado, segundo um artigo publicado pela Universidade de Berkeley, nos Estados Unidos, quando os idosos estão comprometidos em praticar atividades físicas e em manter conexões sociais durante o envelhecimento, participando de uma comunidade saudável, as chances de se internarem em asilos são menores. Tais iniciativas ajudam a preservar a autonomia do idoso, assim como a sua saúde física e mental.

A gente sabe que, além de as oportunidades de conhecer novas pessoas serem menores durante o envelhecimento, as habilidades necessárias para fazer amigos também podem ficar um pouco enferrujadas, já que a disposição muitas vezes não é a mesma. Porém, ainda é preciso fazer um esforço, já que manter relações próximas com os outros é vital para a saúde física, mental e emocional, assim como para a autoestima e mesmo a longevidade.

nunca é tarde para fazer amigos

Sentir-se solitário não é incomum. Portanto, supere a ideia de que as outras pessoas já têm todos os amigos dos quais precisam, sejam elas mais velhas ou jovens. Todo mundo gosta de conhecer gente nova, e você pode começar pela região onde mora. Você sabe quem são os seus vizinhos? Existem associações ou clubes que promovem atividades em grupo, como leitura, jogos ou até mesmo trabalho voluntário?

O segundo passo para fazer novos amigos é aceitar convites. Você nunca sabe quando ou onde vai conhecer novas pessoas que podem acabar fazendo parte do seu ciclo social. Portanto, nada de se isolar em casa de domingo a domingo.

Hábitos que fazem bem para a saúde do corpo, como fazer aulas de dança ou até mesmo musculação em academias, também são boas estratégias para conhecer pessoas e a fazer

amigos. O mesmo vale para as atividades cognitivas, como aprender um novo idioma, ter aulas de jardinagem ou participar de um clube de xadrez.

Por fim, retome o contato com amigos e familiares com os quais não conversa há tempos. As redes sociais, como o Facebook, estão aí para isso: em poucos cliques, é possível reencontrar pessoas que um dia fizeram parte da sua vida. A internet hoje é o principal meio de conexão entre os jovens, então por que seria diferente para os mais velhos? Aplicativos como o WhatsApp e o Zoom são formas de manter contato com pessoas que moram longe, inclusive filhos, netos, irmão e amigos. Não deixe de aproveitá-los para agitar um pouco o seu calendário social.

 

Referências:

Greater Good Magazine - UC Berkeley. How Social Connections Keep Seniors Healthy. Appalachian Agency for Senior Citizens. Senior Socialization Leads to Better Quality of Life.

Danielle dos Santos Alves. O Envelhecimento e a Importância da Convivência Social e Familiar: Estudo sobre um Grupo de Convivência de Cruz das Almas - Bahia. Centro de Artes, Humanidades e Letras - CAHL Colegiado de Serviço Social. Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.

Ybarra O, Burnstein E, Winkielman P, Keller MC, Manis M, Chan E, Rodriguez J. Social interaction promotes general cognitive functioning. Pers Soc Psychol Bull. 2008 Feb;34(2):248-59

Bassuk SS, Glass TA, Berkman LF. Social disengagement and incident cognitive decline in community-dwelling elderly persons. Ann Intern Med. 1999 Aug 3;131(3):165-73

Sciences Daily. University of Michigan Friends with cognitive benefits: Mental function improves after certain kinds of socializing Valerie C. CrooksDSW, ,James LubbenDSW, MPH, ,Diana B. PetittiMD, MPH, ,Deborah LittleMS, and ,Vicki ChiuMS. Social Network, Cognitive Function, and Dementia Incidence Among Elderly Women. American Journal of Public Health. Oct 2011.

LEIA MAIS