Cuidados paliativos trazem conforto e dignidade para pacientes

por Equipe Danone Nutricia 6 de janeiro de 2021 5 minutes

Os cuidados paliativos são destinados a pacientes com doenças crônicas, graves ou em estado terminal

Todos nós somos importantes até o último momento de nossas vidas, como dizia a médica britânica Cicely Saunders. Assim, devemos fazer o que estiver ao nosso alcance para ajudar as pessoas que amamos não só a morrer em paz, mas a viver plenamente até morrer.

Os cuidados paliativos costumam ser encarados como última medida para trazer algum conforto a pacientes terminais. No entanto, também podem ser adotados para melhorar a qualidade de vida dos doentes e suas famílias quando enfrentam doenças crônicas ou graves, mesmo quando não estão no fim de suas vidas.

Os cuidados paliativos procuram aliviar os sintomas físicos e a dor, mas também os aspectos psicológicos, sociais e espirituais que dizem respeito a cada paciente. Segundo a Academia Nacional de Cuidados Paliativos, “paliar” significa “proteger”. Portanto, qualquer pessoa que seja elegível para recebê-los não deve ter receio de aceitá-los.

A princípio, os cuidados paliativos foram pensados para trazer alívio durante o tratamento oncológico. Hoje, podem ser aplicados para qualquer doença que prejudique a qualidade de vida do paciente.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 40 milhões de pessoas precisam de cuidados paliativos no mundo. Porém, apenas 14% os recebem.

Os princípios dos cuidados paliativos

Segundo a OMS, os princípios dos cuidados paliativos são:

● Aliviar a dor e outros sintomas angustiantes ou incômodos;

● Afirmar a vida e considerar a morte um processo natural;

● Não apressar ou adiar a morte;

● Integrar os aspectos psicológicos e espirituais do atendimento ao paciente;

● Oferecer um sistema de apoio para ajudar os pacientes a viver tão ativamente quanto possível até a morte;

● Oferecer um sistema de apoio para ajudar a família a enfrentar a doença do paciente e o luto;

● Adotar uma abordagem de equipe para atender às necessidades dos pacientes e de suas famílias, incluindo o aconselhamento sobre luto, se indicado;

● Melhorar a qualidade de vida, o que pode influenciar positivamente no curso da doença;

● No início da doença, é aplicável junto de outros tratamentos que podem prolongar a vida, como quimioterapia ou radioterapia, e inclui as investigações necessárias para melhor compreender e gerenciar complicações clínicas angustiantes.

como os cuidados paliativos funcionam

Há diversas formas de melhorar a qualidade de vida e trazer mais conforto para o paciente e sua família. Geralmente, uma equipe multidisciplinar se ocupa dos cuidados, como médicos, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, psicólogos, educadores físicos e nutricionistas.

Os cuidados paliativos são tratamentos humanizados, que levam em consideração os desejos e necessidades do paciente. Para que se sinta melhor, os campos emocional, físico e social devem estar em harmonia. Por isso, a família também é incluída no processo e se beneficia dele.

Os cuidados paliativos podem ser aplicados em casa ou no hospital e, quanto mais cedo, melhor. Pacientes com doenças crônicas que têm um grande impacto em sua qualidade de vida, como fibrose cística, câncer ou esclerose múltipla, podem começar a recebê-los logo após o diagnóstico.

Na fase terminal, quando o paciente tem pouco tempo de vida, os cuidados paliativos são fundamentais para garantir qualidade de vida, conforto e dignidade.

 

Referências:

World Health Organization. WHO Definition of Palliative Care.

Instituto Oncoguia. O que são cuidados paliativos?

Instituto Nacional de Câncer. Cuidados Paliativos.

Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia. O que são cuidados paliativos?

Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos. O que são cuidados paliativos?

Academia Nacional de Cuidados Paliativos. O que são cuidados paliativos

LEIA MAIS