Por que você deve continuar fazendo amigos até o fim da vida

por Equipe Danone Nutricia 31 de agosto de 2020 5 minutes

Manter conexões sociais ao longo da vida é importante para a saúde física e mental

Ninguém deseja se sentir isolado ou solitário, independente da idade. Mas, durante o envelhecimento, a falta de interação social pode ser especialmente prejudicial, impactando a saúde e o bem-estar.

Segundo a associação americana Appalachian Agency for Senior Citizens, formada em 1975 com o objetivo de aprimorar a qualidade de vida dos idosos, ter uma variedade de interações sociais positivas contribui para o bem-estar psicológico e físico dos mais velhos. O apoio de outras pessoas pode ser importante na redução do estresse, na melhora da saúde do corpo e no combate de problemas psicológico, como depressão e ansiedade.

Segundo um estudo feito em 2014 por uma pesquisadora da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, a falta de de interação pode levar o idoso a ter uma visão negativa do envelhecimento, no sentido de que essa fase da vida traz apenas perdas. De fato, envelhecer significa testemunhar o falecimento de pessoas queridas e, em muitos casos, conviver com menos pessoas durante a aposentadoria. No entanto (e principalmente por conta disso), é importante continuar buscando o apoio da comunidade, estabelecendo relações saudáveis e participando de atividades em grupo.

A convivência social e familiar é uma necessidade e, de acordo com o estudo da universidade baiana, um direito do idoso que deve ser respeitado e resguardado.

Os benefícios cognitivos das interações sociais

Estudos mostram que conversar com frequência com amigos e parentes, assim como estar com as pessoas de quem gostamos, é uma das formas de prevenir a decadência da saúde cognitiva. Uma pesquisa feita em 2010 pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, concluiu que conversar com outras pessoas de maneira amigável pode facilitar a solução de problemas comuns.

Os pesquisadores examinaram o impacto de breves situações de contato social em um componente-chave da atividade mental: a função cognitiva, que inclui a memória de trabalho, o automonitoramento e a capacidade de suprimir distrações externas e internas. Todas elas são essenciais para resolver problemas comuns do dia a dia.

Outro estudo, publicado em 2011 no American Journal of Public Health por pesquisadores do Boston College e da Southern California Health Care, nos Estados Unidos, descobriu que mulheres mais velhas que mantêm redes de contatos sociais têm menor risco de desenvolver demência e comprometimento cognitivo. Além disso, as participantes que tiveram contato diário com amigos e familiares reduzem o risco de desenvolver demência quase pela metade.

Portanto, socializar tem efeito protetor sobre o cérebro porque é uma forma de exercitar a mente. A interação social, além de ser uma maneira de estimular o órgão, é forma de “afiar” a mente, melhorando a capacidade de raciocínio.

socializar durante o envelhecimento

Os membros da família são as primeiras pessoas nas quais pensamos quando o assunto é prover apoio e cuidados ao idoso. Embora isso seja verdade, também é importante conviver com outros indivíduos durante o envelhecimento, como amigos da mesma faixa etária, colegas que estimulem trocas intelectuais ou que possuam os mesmos hobbies.

Para os aposentados, pode ser interessante buscar atividades como participar de clubes de leitura, exercícios em grupo, fazer trabalho voluntário ou se unir a clubes e associações culturais e religiosas.

Os mais velhos também podem se sentir mais satisfeitos se fizerem parte do planejamento e execução de atividades sociais, assim como da resolução de problemas da comunidade.

Segundo um artigo publicado pela Universidade de Berkeley, nos Estados Unidos, quando os idosos estão comprometidos em praticar atividades físicas e em manter conexões sociais durante o envelhecimento, participando de uma comunidade saudável, as chances de se internarem em asilos são menores. Isso porque tais iniciativas ajudam a preservar a autonomia do idoso, assim como a sua saúde física e mental.

A velhice é só mais uma etapa do nosso ciclo de vida. Segundo a Agência FAPESP, o Brasil terá a sexta maior população de idosos do mundo em 2025. Portanto, é preciso criar soluções para envelhecer com qualidade. Vamos pensar nessa fase com mais carinho para uma vida longa e saudável?

 

Referências:

Greater Good Magazine - UC Berkeley. How Social Connections Keep Seniors Healthy. Appalachian Agency for Senior Citizens. Senior Socialization Leads to Better Quality of Life.

Agência FAPESP. Brasil terá sexta maior população de idosos no mundo até 2025.

Danielle dos Santos Alves. O Envelhecimento e a Importância da Convivência Social e Familiar: Estudo sobre um Grupo de Convivência de Cruz das Almas - Bahia. Centro de Artes, Humanidades e Letras - CAHL Colegiado de Serviço Social. Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.

Sciences Daily. University of Michigan Friends with cognitive benefits: Mental function improves after certain kinds of socializing Valerie C. CrooksDSW, ,James LubbenDSW, MPH, ,Diana B. PetittiMD, MPH, ,Deborah LittleMS, and ,Vicki ChiuMS. Social Network, Cognitive Function, and Dementia Incidence Among Elderly Women. American Journal of Public Health. Oct 2011.

 

Leia mas