Alzheimer, Parkinson e outros tipos de demência

por Equipe Danone Nutricia 5 de janeiro de 2021 5 minutes

Demência é um termo que engloba diversas condições que comprometem a memória, o comportamento, o humor e as capacidades cognitivas

Nem todo idoso que esquece o nome dos netos ou erra o caminho de casa tem Alzheimer. Porém, é possível que tenha outro tipo de demência, um termo guarda-chuva que engloba diversas doenças que comprometem a memória, as capacidades cognitivas e de raciocínio.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) projeta que, até 2050, o número de pessoas vivendo com demência deve triplicar no mundo, passando de 50 milhões para 152 milhões. O crescimento será provocado pelo aumento da expectativa de vida da população, já que tais doenças são típicas do envelhecimento.

Para a OMS, esses números são um sinal de alerta para a necessidade de prevenção, detecção precoce e cuidados. Nesse sentido, o diagnóstico correto é fundamental, pois permite a adoção do tratamento adequado o quanto antes.

Veja, abaixo, quais são os tipos mais comuns de demência e aprenda a identificar os sinais:

tipos de demência

Doença de Alzheimer

O Alzheimer é o tipo de demência mais prevalente, constituindo mais da metade de todos os casos. É uma doença progressiva, degenerativa e que afeta o cérebro. Ela se manifesta pela deterioração cognitiva e da memória, comprometimento progressivo das atividades diárias, alterações comportamentais, entre outros sintomas.

Pesquisas sugerem que a proteína ApoE, que o corpo usa para mover o colesterol no sangue, possa estar relacionada à condição. Além disso, existem evidências de que pessoas com hipertensão e colesterol alto têm maior chance de desenvolver Alzheimer. Mais raramente, lesões no cérebro podem ser uma razão – quanto mais graves forem, maior o risco de apresentar a doença. Histórico da doença na família também pode aumentar o risco de desenvolvê-la.

Os principais sintomas do Alzheimer são:

● Perda de memória recente

● Repetir a mesma pergunta várias vezes

● Dificuldade para acompanhar conversas ou pensamentos complexos

● Incapacidade de elaborar estratégias para resolver problemas

● Dificuldade para dirigir e encontrar caminhos conhecidos

● Dificuldade para encontrar palavras que exprimem ideias ou sentimentos pessoais

● Irritabilidade

● Agressividade

● Passividade

● Ter suspeitas injustificadas, como duvidar de um amigo que está oferecendo ajuda

● Interpretações erradas de estímulos visuais ou auditivos, como pensar que, por causa de um barulho intenso, está em um conflito armado

● Tendência ao isolamento

Doença de Parkinson

A Doença de Parkinson é uma doença progressiva do sistema nervoso central que, em fases mais avançadas, pode provocar demência. Ela é causada por uma diminuição intensa da produção de dopamina, um neurotransmissor que faz a comunicação entre o cérebro e as células nervosas.

A perda das células nervosas que produzem dopamina é uma consequência natural do envelhecimento, mas algumas pessoas perdem essas células em um ritmo acelerado, provavelmente por fatores genéticos ou ambientais.

Os principais sintomas da Doença de Parkinson são tremores, rigidez nos membros e articulações, problemas na fala e dificuldade na iniciação dos movimentos.

Demência vascular

Engloba os tipos de demência associados aos problemas de circulação do sangue para o cérebro, como a demência por multi infartos cerebrais, causada por pequenos derrames, e a Doença Binswanger. Esta última está associada a alterações cerebrais também relacionadas com derrames e é causada por hipertensão arterial, estreitamento das artérias e por problemas de circulação sanguínea.

Demência com Corpos de Lewy

Corpos de Lewy são agregados de neurofilamentos que se acumulam no sistema nervoso e provocam sintomas como perda de memória, dificuldades de relacionamento e comunicação, alucinações e problemas cognitivos. O ator Robin Williams, que cometeu suicídio em 2014, sofria com a doença, comprovada por autópsia após a sua morte.

Doença de Huntington

A Doença de Huntington é uma condição genética que afeta o sistema nervoso central, caracterizada pela merda de células em uma parte do cérebro chamada gânglios de base. Ela provoca sintomas motores, cognitivos e psiquiátricos, como mudanças de humor, desequilíbrio emocional e perda de memória.

Demências secundárias

As demências secundárias ocorrem como consequência de outras condições como deficiência de vitamina B12, sífilis e consumo excessivo e crônico de álcool. Elas podem provocar danos cerebrais que prejudicam a memória, o discernimento, as competências sociais e o equilíbrio. Esses danos podem tratáveis para amenizar os sintomas.

diagnóstico de demência

Para diagnosticar a demência, é preciso colher um histórico médico cuidadoso do paciente, investigando casos na família, doenças pré-existentes e sintomas manifestados. Além disso, uma série de exames físicos e laboratoriais podem ser solicitados, de acordo com os sinais apresentados.

Testes cognitivos e neuropsicológicos, avaliações neurológicas, tomografias, ressonâncias magnéticas e testes de laboratório são alguns dos exames que podem ser solicitados. O paciente provavelmente também irá passar pelo psiquiatra para que faça uma avaliação das suas condições neurológicas.

Não deixe de procurar o médico ao menor sinal de demência. Como as condições costumam ser progressivas, é fundamental começar o tratamento o quanto antes para desacelerar a sua progressão.

 

Referências:

Alzheimer’s Association. Down Syndrome and Alzheimer's Disease.

Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade Academia Brasileira de Neurologia. Demência do Idoso: Diagnóstico na Atenção Primária à Saúde.

Alzheimer Portugal. O que é a Demência?

Ministério da Saúde. OMS: número de pessoas afetadas por demência triplicará no mundo até 2050.

LEIA MAIS