5 dicas para o idoso deixar de ser sedentário

por Equipe Danone Nutricia 19 de novembro de 2021 5 minutes

5 dicas preciosas ajudam o idoso a deixar a rotina sedentária em prol de melhor saúde, qualidade de vida e longevidade

Deixar de ser sedentário é uma das melhores coisas que os idosos podem fazer em prol de sua saúde, qualidade de vida e longevidade. Mas começar uma rotina nova de exercícios exige motivação, e a falta dela pode fazer com que a prática de atividades físicas sempre fique para o dia seguinte.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, todas as pessoas, incluindo idosos, devem fazer ao menos 150 minutos de atividades moderadas por semana, como caminhadas diárias, ou 75 minutos de atividade vigorosa, como corrida ou atividades aeróbicas. Os números parecem um desafio inalcançável para pessoas sedentárias, mas com o planejamento correto, é possível.

Veja algumas dicas para chegar lá:

 

Dicas para deixar de ser sedentário

 

1 - Comece devagar

Se o idoso está sedentário, é importante respeitar seus limites. A chave para o sucesso é começar com uma rotina simples, com exercícios menos vigorosos por tempos mais curtos, e evoluir lentamente a partir do nível atual de condicionamento físico.

Começar sem muitas ambições é importante tanto para construir a motivação, quanto para prevenir lesões. Como o sedentário está se habituando à rotina, é importante prestar atenção aos detalhes essenciais, como:

  • Manter-se hidratado durante a prática
  • Aquecer o corpo antes de se exercitar e alongar em seguida, enquanto o corpo esfria
  • Usar roupas e calçados adequados
  • Discutir o plano de atividades físicas com o médico ou preparador físico

 

2 - Faça uma atividade física simples assim que acordar

Carregar uma culpa diária por não se exercitar pode ser desmotivador. Para evitá-la, faça um exercício simples assim que acordar para dar motivação para o resto do dia. Pode ser uma caminhada curta no bairro ou uma série simples de alongamentos.

 

3 - Faça séries curtas de exercícios ao longo do dia

Se você tem dificuldade para achar um período mais longo na sua agenda para se exercitar, divida o treino do dia em várias sessões mais curtas. O idoso pode, por exemplo:

  • Caminhar 15 minutos pela manhã
  • Caminhar 15 minutos à tarde
  • Praticar 20 minutos de exercícios de fortalecimento muscular no final do dia, conforme orientação profissional.

Para tornar as coisas mais interessantes, é possível intercalar a prática de exercícios a cada dia e aumentar a dificuldade, intensidade e tempo gradativamente.

 

4 - Estabeleça metas

Estabelecer metas é uma estratégia bastante óbvia para quem vai dar início a uma rotina de exercícios, mas que tal apimentar um pouco as coisas incluindo recompensas? Para cada um dos objetivos alcançados, faça algo prazeroso. Assim, ao caminhar três vezes por semana, você pode se dar ao luxo de tomar um delicioso banho de banheira. Ao frequentar com assiduidade a aula de pilates ao longo de um mês, compre de presente para si mesmo o livro que tanto deseja ler.

Aos pouquinhos, o próprio prazer de atingir as metas será suficiente para engajar-se em uma rotina permanente.

 

5 - Faça atividades em grupo

Muitos idosos reduzem a frequência de suas atividades sociais ao longo do envelhecimento, e a prática de exercícios físicos é uma desculpa perfeita para cuidar da saúde e manter as amizade, desde que seja orientada e acompanhada por um médico ou educador físico. Que tal, então, se inscrever em uma aula de tai chi chuan ou em um curso de natação com os amigos? Se ninguém está animado para se exercitar em conjunto, inscreva-se mesmo assim e esteja aberto para construir amizades novas!

 

Referências:

National Health Service. Physical activity guidelines for older adults. Disponível em:

https://www.nhs.uk/live-well/exercise/physical-activity-guidelines-older-adults/

National Institute on Aging. How older adults can get started with exercises. Disponível em:

https://www.nia.nih.gov/health/how-older-adults-can-get-started-exercise

Escola de Educação Física e Esporte - Universidade de São Paulo. Os riscos do sedentarismo para o idoso no isolamento. Disponível em:

http://www.eefe.usp.br/destaque-eefe/os-riscos-do-sedentarismo-para-idosos-no-isolamento