Criança

      Criança gritando: saiba o que significa e como agir

      por Equipe Danone Baby 19 de Setembro de 2018 5 minutos

      A fase dos gritos ocorre por volta de um ano de idade e indica o desenvolvimento da linguagem.  Saiba como agir

      Quem convive com uma criança de um ano sabe bem: toda a dificuldade que ela tem de falar é compensada pela "fluência" dos gritos – a qualquer hora e local. Agudos e estridentes, os gritos sinalizam o bom desenvolvimento da criança em ao menos três aspectos:

      aplv-1-1-807x350.jpg

      1. Desenvolvimento da linguagem

      Os gritos são um treino para as cordas vocais, ainda não habituadas à fala. É como se a voz fosse algo ainda a ser dominado, por isso as crianças não têm noção sobre o volume e o timbre.

      2. Pedido de atenção

      É também na fase em que completa o primeiro aniversário que a criança fica mais consciente da presença e, logo, da ausência do outro. Por isso, é comum que ela grite para chamar a atenção quando é deixada sozinha em algum ambiente ou, mesmo quando acompanhada, percebe que os olhares e conversas não estão sendo dirigidas e ela.

      3. Tentativa de diálogo

      Apesar de não saber coordenar a dicção para emitir palavras e frases, os bebês de um aninho já conhecem muitas palavras e têm vontade de se expressar. Se não conseguem falar corretamente, gritam na tentativa de avisar que querem um brinquedo ou um alimento, por exemplo.

      Como lidar com a criança gritando

      Não tem como evitar, mas algumas dicas ajudam a lidar com essa fase. Uma boa dica é ensinar à criança que a potência da voz não necessariamente está ligada ao seu volume. Brinque com a altura da voz, comemore e grite com ela quando ela estiver feliz, ensine que fazer sons baixinhos também é uma boa forma para se expressar.

      Você pode tornar isso uma brincadeira, propondo quem grita mais alto ou de quem sussurra mais baixinho. Ou partir para o campo da imitação, dizendo que seu filho parece um leão e sugerir para que ele aja como um gatinho.

      Não deixe também que o grito seja uma chantagem para conseguir algo. Isso, geralmente acontece quando a criança está em público. Se ela estiver gritando porque quer um alimento um brinquedo, diga que só dará quando ele parar de gritar.

      Por fim, para evitar contratempos, evite levar a criança a locais muito silenciosos, como restaurantes intimistas.

      Por volta dos dois anos, é provável que a fala já esteja estabelecida e que os gritos deem espaço à construção de frases em volume mais adequado.

       

      REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

      Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo - “Manual de acompanhamento da criança”, 2015. http://www.saude.sp.gov.br/resources/ses/perfil/gestor/homepage/programa-de-fortalecimento-da-gestao-da-saude-no-estado-de-sao-paulo/consultas-publicas/manual_de_acompanhamento_da_crianca.pdf

      Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - "Desenvolvimento cognitivo e motor das crianças de zero a quinze meses: Um estudo de revisão". http://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0529.pdf

      Fundação Oswaldo Aranha - "O desenvolvimento motor normal da criança de 0 à 1 ano: Orientações para pais e cuidadores". http://web.unifoa.edu.br/portal_ensino/mestrado/mecsma/arquivos/37.pdf

      Universidade de São Paulo - "Desenvolvimento Infantil dos 0 aos 12 meses".
      http://usf-saudenofuturo.min-saude.pt/educacao_saude/saude_infantil_juvenil/Documents/Desenvolvimento%20Infantil%200-12%20meses.pdf

      Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra - “O Choro do bebê”, 2009.
      http://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0503.pdf

      Leia mais

      Perguntas sobre nossos produtos?

      Caso tenha alguma dúvida sobre a Danone Nutricia ou nossos produtos, entre em contato com nossa central de atendimento!