Gravidez

      Consumo de sal na gravidez é importante, mas em excesso pode ser prejudicial

      por Equipe Danone Baby 21 de outubro de 2019 5 minutes

      O consumo de sal em excesso na gravidez pode prejudicar o funcionamento dos rins e causar pressão alta

      O sódio, presente no sal, é um mineral essencial em nossos corpos, pois mantém os níveis de fluidos corporais e é necessário para as funções muscular e nervosa. No entanto, a ingestão necessária é pequena e, em excesso na dieta, pode ser prejudicial: afeta os rins e causa pressão alta.

      Na gravidez, uma dieta com baixo teor de sódio pode ajudar a manter a pressão arterial dentro de uma faixa saudável, reduzindo o risco de acidente vascular cerebral e outras condições prejudiciais à saúde da mãe e ao desenvolvimento do bebê.

      Quanto sal posso ingerir na gravidez?

      Sua necessidade de sal não muda durante a gravidez. Em geral, o máximo diário recomendado é de 6g, equivalente a 2,4g de sódio.

      Muitas pessoas, sem saber, comem mais do que o máximo recomendado, porque o sal é adicionado a diversos alimentos industrializados. Entre 75% e 80% da ingestão de sal está escondida em alimentos prontos e processados , assim como em comidas vendidas em fast-foods. Fique atento para alimentos como batata frita e bacon e a produtos que, apesar de não aparentarem, têm muito sódio, como molhos para massas e sopas.

      Se a sua ingestão de sal já estiver dentro do limite diário de 6g, não será preciso ajustar a sua dieta em relação. Mas, se você suspeitar que a ingestão pode ser maior, é bom rastrear seus níveis diários verificando os rótulos nutricionais quanto ao teor de sal ou sódio.

      Mas qual a diferença entre sal e sódio? Na verdade, o sal é composto por duas substâncias: sódio e cloreto. Alguns rótulos nutricionais incluem no conteúdo os teores de sal e sódio. Quando apenas o teor de sódio é listado, é preciso multiplicar isso por 2,5 para calcular quanto sal contém o alimento.

      Reduzindo o consumo de sal

      O sal é um alimento básico da cozinha. Ele é usado para melhorar o sabor dos alimentos e, por isso, a maioria das receitas o inclui. Depois de anos comendo uma dieta com alto teor de sal ou mesmo uma dieta moderadamente salgada, as opções mais baixos teores de sal podem parecer insípidas e sem graça.

      A boa notícia é que o seu paladar precisa de apenas três semanas para se adaptar e começar a sentir os sabores naturais dos alimentos sem sal. Então, se você está reduzindo o consumo, seja paciente e tenha em mente que a comida logo ficará saborosa novamente.

      Como reduzir a ingestão de sal:

      ● Evite adicionar sal aos alimentos durante a cozedura e depois de cozidos;

      ● Use ervas ou pimenta preta para dar sabor às refeições caseiras;

      ● Escolha opções mais baixas de sódio quando estão disponíveis;

      ● Reduza a quantidade de alimentos processados em sua dieta;

      ● Verifique os níveis de sal nos alimentos pré-embalados. Certifique-se de que há menos de 1,5g de sal por 100g;

      ● Reduza a quantidade de embutidos, pois todos eles são ricos em sal;

      ● Desconfie de alimentos doces, como biscoitos, que geralmente também contêm sal;

      ● Verifique o menu dos restaurantes para entender se há alimentos salgados demais;

      Bibliografia:

      1. British Dietetic Association. Food Fact Sheet: Salt and Health

      2. NHS UK. Salt: the facts 3. Action on salt. Salt and your health 4. Action on salt. Myths and Frequently Asked Questions 5. Action on salt. How to reduce your salt intake

      6. Glinoer D. The importance of iodine nutrition during pregnancy. Public Health Nutr 2007;10(12A):1542-1546.

      Este é um material informativo sobre consumo de sal na gravidez. Consulte sempre o médico e/ou nutricionista.

      LEIA MAIS