Primeiros Meses

      Cocô do bebê: cores, frequência e consistência

      por Equipe Danone Baby 22 de Junho de 2017 5 minutos

      Ninguém imagina ter tanta curiosidade sobre cocô do bebê antes de ter filhos. Mas depois do nascimento, o assunto vira rotina

      Antes dos filhos, ninguém imagina que terá tanta curiosidade e dúvidas sobre um tema tão inusitado: o cocô. Mas basta o bebê nascer para que o assunto se torne pauta das conversas da família toda. Afinal, não é mesmo simples saber se está tudo bem com aquelas fezes que mudam de cor, de frequência e de consistência quando a gente menos espera.

      O importante, primeiro de tudo, é que você saiba que essas variações são absolutamente normais no início da vida. Posto isso, vamos aos detalhes:

      Recém-nascido

      As primeiras evacuações do recém-nascido são aquelas em que ele libera o mecônio, uma substância de tom esverdeado, quase preto, que até parece óleo de motor e pode dar trabalho para desgrudar do bumbum. O mecônio leva, em média, até 48 horas após o nascimento para ser expelido e, como não tem cheiro, é preciso ficar de olho para não atrasar a troca de fraldas.

      Primeiro mês

      Após a liberação do mecônio, ainda na primeira semana de vida da criança, o cocô ganha uma tonalidade amarelada e de consistência praticamente aquosa, principalmente daqueles alimentados exclusivamente de leite materno. Nessa fase, é comum que o bebê evacue após cada mamada. Quando o lactente não recebe o aleitamento materno, além de as fezes serem mais consistentes, a frequência costuma ser menor e a tonalidade um pouco mais escura.  

      Do segundo mês ao início da introdução alimentar

      Após o primeiro mês, o ritmo de evacuações diminui - costuma acontecer de uma a duas vezes ao dia - mas não é motivo de pânico um bebê normal ficar até uma semana sem evacuar. Isso acontece porque o funcionamento do intestino é constitucional de cada criança. O intervalo entre as evacuações só deve ser motivo de preocupação se houver desconforto e dor ou se passar de quatro dias. Um bebê que não faz cocô há quatro dias, mas está animado,dormindo e mamando, pode estar saudável. Se a criança estiver incomodada, vai chorar e demonstrar irritação. É importante que você sempre converse com o seu médico nessas situações.

      aplv-1-1-807x350.jpg

      Após a introdução alimentar

      A partir do momento em que são introduzidos novos alimentos na dieta do bebê - como as frutas e as papinhas salgadas -, o padrão fecal modifica-se no sentido de ter maior consistência, mudança na cor (fica mais escura) e no odor (já cheira como as fezes de um adulto). Algumas vezes, podem ser encontrados nas fezes restos de alimentos que a criança consumiu devido a uma digestão incompleta.

      Quando se preocupar

      Apesar da gama de variações possíveis e comuns, algumas vezes a cor ou a aparência das fezes de seu bebê indicam que é preciso buscar ajuda médica. Veja, a seguir, quando é momento de marcar uma consulta:

      Sangue nas fezes: pode ser parte de algumas infecções intestinais por determinados tipos de micro-organismos ou um quadro de inflamação do cólon (colite) por Alergia ao Leite de Vaca (ALV).

      Constipação: não tem relação com a frequência de evacuação, mas com a aparência do cocô e a ocorrência de dor. Fezes secas e com rachaduras são indicações de constipação, mesmo que a criança faça cocô diariamente.

      Fezes esbranquiçadas: podem ser manifestações de doenças do fígado e das vias biliares. A ausência das vias biliares (atresia das vias biliares) deve ser reconhecida logo nas primeiras seis semanas de vida, quando o tratamento cirúrgico tem melhor prognóstico. No entanto, muitas vezes o diagnóstico é tardio.


      REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

      Sociedade Brasileira de Pediatria
      Ministério da Saúde e Rome Foundation

      Leia mais

      Perguntas sobre nossos produtos?

      Caso tenha alguma dúvida sobre a Danone Nutricia ou nossos produtos, entre em contato com nossa central de atendimento!